Maria das Graças tinha três filhos e era presidente da associação de aposentados da Universidade Federal do Ceará (Foto: Foto: Reprodução/Facebook)
A Justiça do Ceará incluiu mais um réu no processo que investiga a morte de Maria das Graças Martins Nina, que teria sido encomendada pelo genro. Ela foi encontrada morta em um matagal nas proximidades da BR-116, em Itaitinga, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Maria das Graças Martins Nina foi assassinada pelo namorado em fevereiro de 2015 e o corpo foi abandonado em Itaitinga, na Grande Fortaleza.

José Walter dos Santos Morais, genro da vítima, foi denunciado pela Justiça como mandante do crime. As investigações da polícia mostraram que  o genro José Walter, estava passando por dificuldades financeiras e, com a morte da sogra, a mulher dele, e filha da vítima, passaria a ser beneficiária de seguros e da partilha de bens da herança.

Nesta terça-feira (3), o juiz auxiliar da Comarca de Fortaleza Edson Feitosa dos Santos Filho,  incluiu nos autos o réu Francisco de Assis da Silva Gomes, cuja participação, como um dos executores do crime, foi indicada no interrogatório de Júlio César Menezes de Carvalho e José Walter dos Santos Morais, denunciados como executor e mandante do crime respectivamente. Segundo o Ministério Público do Ceará (MPCE), Júlio Cesar,  sob orientações de Francisco de Assis, passou a manter relacionamento com Maria das Graças.

Preso, o falso namorado contou como tinha acontecido o crime e disse que havia sido contratado por R$ 4 mil. No dia 20 de fevereiro de 2015, um dos encontros foi observado por Francisco de Assis, que estava nas proximidades.

Francisco de Assis foi contratado por José Walter dos Santos Morais, genro da vítima, para praticar o crime. Para auxiliá-lo na execução buscou apoio de Júlio César, prometendo recompensa financeira.

Júlio César entrou no carro da vítima e ambos saíram do local, sendo seguidos por Francisco de Assis, que se encontrava em outro veículo. Em dado momento, os automóveis pararam.

Logo depois, a dupla sufocou Maria das Graças com um arame. Depois, perfurou o pescoço dela utilizando canivete.

Prosseguindo no carro da vítima, eles levaram o corpo até um terreno na BR 116, km 23, em Itaitinga, Na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) onde foi encontrado. O local é próximo a um sítio de propriedade de Francisco de Assis e onde também residiu Júlio César.

.