Madeireiros ocupam prédio do Imap em Laranjal do Jari (Foto: Silvan Rocha/Arquivo Pessoal)
Madeireiros estão acampados há cinco dias em frente ao prédio do Instituto de Meio Ambiente do Amapá (Imap) no município de Laranjal do Jari, a 295 quilômetros da capital, para cobrar a celeridade na emissão de licenças para exploração da floresta na região. A ocupação ocorre desde segunda-feira (2). O Imap disse que mandará equipes de engenheiros para o local.

Os trabalhadores estão com as atividades paralisadas após a operação “Cajari”, da Polícia Federal (PF), que apreendeu 350 metros cúbicos de madeira em Laranjal do Jari devido à falta de licenças para exercer os serviços de exploração. Trabalhadores cobram celeridade em licenças doImap (Foto: Silvan Rocha/Arquivo Pessoal)
De acordo com um dos representantes da Associação dos Madeireiros de Laranjal do Jari, Benedito Machado Castro, de 46 anos, os proprietários das estâncias protocolaram pedidos de licenciamento no Imap dias após a operação da PF, mas a documentação ainda não foi emitida quase um mês depois.

“Fizeram uma denúncia de que nós estávamos tirando madeira de uma reserva sem autorização e a Polícia Federal veio a paralisou as atividades. Quem seria o responsável pelo licenciamento é o Imap.

Estamos desde segunda-feira acampados aqui clamando por uma autorização nos processos que tramitam”, reclamou.
A ocupação ocorre com faixas, cartazes, barracas e barreiras de pneus montadas no terreno do prédio do Imap.

A coordenação de licenciamento do órgão informou que mandará até segunda-feira (9) equipes para agilizarem os processos. Atualmente, apenas um servidor trabalha em Laranjal do Jari.

Madeireiros amapá laranjal do Jari amapá macapá (Foto: Silvan Rocha/Arquivo Pessoal)
.