Cleudes à esquerda, foi presa no dia 6 de maio pela PM-AM (Foto: Divulgação/ PM-AM)A mãe do bebê Pablo Pietro, que teria sido jogado no Rio Negro após uma discussão, foi levada à delegacia em Manacapuru, a 84 km de Manaus, suspeita de tráfico de drogas. Cleudes Maria Batista de Moraes, de 23 anos, foi abordada com mais quatro suspeitos em uma casa onde estaria sendo comercializado entorpecentes, de acordo com a Polícia Militar (PM-AM). A prisão ocorreu no dia 6 de maio e Cleudes foi liberada em seguida.

Segundo o major Andre Gioia, do 9º Batalhão da Polícia Militar (BPM), a abordagem foi realizada após denúncias de que a casa, localizada no bairro União do município, seria ponto de venda de drogas. “Havia várias denúncias da população sobre o local.

Eles alugavam a casa para vender drogas. Realizaram a abordagem e um deles confirmou que eles vendiam”, disse o major.

No local, foram presos Cleudes, três homens, com idade de 25 anos, e um adolescente de 16. Com eles, foram apreendidos porções de maconha, uma motocicleta e cerca de R$ 100 em espécie.

De acordo com o major, o grupo foi encaminha à 1ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP). A Polícia Civil informou ao G1 que, após ser levada à delegacia da cidade, Cleudes Maria foi liberada.

Segundo a assessoria da Polícia Civil, ela estaria no local, mas não houve indícios do envolvimento dela com a venda de drogas. Ainda segundo a assessoria, apenas dois suspeitos presos pela PM permaneceram presos na delegacia de Manacapuru.

Lembre o casoO bebê Pablo Pietro, de apenas 4 meses, teria sido jogado no Rio Negro, em agosto de 2015. O crime teria acontecido após uma discussão sobre pensão alimentícia entre os pais da criança, Josias de Oliveira Alves, 29, e Cleudes Maria Batista.

Os dois foram presos e ouvidos pela Polícia Civil. Cleudes foi liberada após Josias confessar a autoria do crime.

.