Carreata contra o impeachment reuniu cerca de 250 manifestantes, segundo organização (Foto: Alessandra Rodrigues/Mirante AM)
Manifestantes maranhenses participaram de uma carreata em favor da presidente da República Dilma Roussef (PT) e contra o processo de impeachment, na manhã deste domingo (17), em São Luís. O movimento é organizado por integrantes de movimentos sociais, centrais sindicais, estudantis e também por miltantes do PT, do PSOL e do PC do B. A concentração começou por volta de 8h30, em frente à agência do Viva Cidadão, no bairro Praia Grande.

Durante o período de organização da carreata, alguns manifestantes seguravam bandeiras, apitos e cornetas e gritavam palavras de ordem como “Não vai ter golpe”, “Lula vale a luta”, etc. Movimento foi organizado por movimentos sociais e militantes de partidos políticos (Foto: Alessandra Rodrigues/Mirante AM)
Na capital maranhense, 250 pessoas em mais de 200 carros participaram do ato, segundo a organização.

A Polícia Militar informou que 200 manifestantes estavam nas ruas. Por volta das 10h20, os organizadores afirmaram ter 150 manifestantes reunidos.

A polícia numerou 80 pessoas. Às 11h20, o grupo saiu em carreata por vários bairros de São Luís.

Após sair da Praia Grande, os manifestantes seguiram pelo bairro Camboa, passando pelos bairros Liberdade, Alemanha, Fé em Deus, Anil, Turu, Cohab, Angelim e Cohama, por onde seguiram para a Avenida Litorânea.
O grupo retornou ao ponto de concentração pelo bairro São Francisco.

Segundo organizadores, eles acompanharão a votação que vai decidir pela continuidade ou pela retenção do processo de impeachment num telão, na Praça Nauro Machado, centro de São Luís. O presidente do Partido dos Trabalhadores em São Luís, Fernando Magalhães, explicou que esse é um movimento da classe trabalhadora e que o objetivo é defender a democracia do país.

“Mobilizamos 150 veículos para participar, mas acredito que muito mais gente vai nos apoiar nesse movimento. Nós estamos querendo passar por vários bairros, levando a mensagem para toda a população de São Luís, de que não vai ter golpe.

Nós vamos garantir a democracia com a manutenção do mandato da presidente Dilma”, declarou. Manifestantes carregam bandeiras de apoio aLula  (Foto: Alessandra Rodrigues/Mirante AM)
Para o membro da Coordenação Maranhão Frente Brasil Popular, Nilton Santos, o movimento é pró-democracia e em defesa da legitimidade dos votos que elegeram a atual Presidente da República.

Segundo ele, o processo de impeachment de Dilma Rousseff é uma afronta à democracia. “Existe uma tentativa de golpe ao nosso voto.

Estamos aqui defendendo a democracia, pois essa tentativa de golpe fere todas as entidades dos movimentos sociais. Fere todos os partidos políticos que se posiciona à esquerda.

Fere o povo brasileiro que votou nas urnas. Nós temos que tomar cuidado, pois essa tentativa pode ser um grande marco que invalida todos os votos”, afirmou.

Quem também se manifestou contra o processo de Impeachment foi Bruno Cacau, representante da Juventude do PT no Maranhão. Por telefone, Cacau contou ao G1 que espera um resultado a favor da democracia e contra o impeachment, mas afirma que “se o resultado for favorável à manutenção do processo de impeachment, nós vamos continuar na luta, nas ruas, em favor da democracia.

Acreditamos que esse processo é golpista e sem legitimidade”. Manifestantes carregam bandeiras de sindicatos e partidos políticos em ato pró-Dilma (Foto: Alessandra Rodrigues/Mirante AM)
O movimento também ganhou apoio de membros da sociedade civil.

O ex-presidente da OAB-MA, Mário Macieira, também participou da manifestação como um cidadão. Para ele, o processo de impeachment é uma clara tentativa de golpe para tirar a presidente do poder.

“Quero dizer que estou participando [da manifestação] como um cidadão como qualquer outro. Vim exercer meu direito de manifestação como cidadão.

Primeiramente, eu penso que o impeachment é absolutamente surreal, porque é um processo presidido por um cidadão que é réu em ação penal. Em segundo lugar, esse impeachment é claramente um golpe, pois não existe crime de responsabilidade imputável à Presidente da República.

Todas as causas alegadas na representação contra ela não configuram crime de responsabilidade fiscal”, posicionou-se. Manifestantes concentrados no bairro Praia Grande,em São Luís,às 9h30 (Foto: Alessandra Rodrigues)
O tenente Soares, da Companhia de Polícia de Turismo Independente (CPTur), disse que a polícia não iria acompanhar o movimento até o final, pois ela não foi informada sobre a carreata.

“Não fomos informados da passeata, somente da concentração aqui, no centro histórico. Vamos dar apoio aqui, no local de saída.

Depois, quem deve acompanhar todo o movimento é a SMTT”, informou. Maranhão em BrasíliaA Coordenação Maranhão Frente Brasil Popular também informou que um grupo de maranhenses que se posicionam contra a manutenção do processo de impeachment se deslocaram para a cidade de Brasília em três ônibus, na quinta-feira (14), para acompanhar a votação na Esplanada dos Ministérios.

“Temos gente maranhense dos movimentos sociais em Brasília. Eles estão lá fazendo essa pressão aos deputados federais que são daqui do Maranhão e que podem levar os votos do povo”, disse o coordenador Nilton Santos.

Manifestações no interiorSegundo a organização do movimento, existem manifestantes se mobilizando em algumas cidades do interior do Maranhão. Nas cidades de Imperatriz, Balsas, Coroatá, Santa Inês e Codó também aconteceram manifestações a favor da permanência da presidente Dilma Rousseff.

.
.