Manifestantes a favor do impeachment da presidente Dilma durante concentração na Praça Tubal Vilela(Foto: Caroline Aleixo/G1)
Manifestantes a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff se concentram desde o início da tarde deste domingo (17) na Praça Tubal Vilela, em Uberlândia. Eles acompanham a votação do processo na Câmara dos Deputados que acontece em Brasília. Os movimentos “Vem Pra Rua”, “Nas Ruas” e Movimento Brasil Livre (MBL) são os responsáveis pela mobilização.

Até agora, a organização estima que cerca de 5 mil pessoas tenham passado pelo local, mas que neste momento cerca de 500 estão na praça, que fica no Centro da cidade. A Polícia Militar está no local, mas ainda não divulgou números.

A concentração conta com apoio de carro de som, telão com transmissão ao vivo da votação, além de materiais como faixas e bandeiras em protesto ao combate à corrupção e ao impedimento da presidenta Dilma. “Estaremos com policiamento específico, além do grupamento de choque para caso ocorra algum possível confronto entre grupos com ideologias divergentes”, disse o subcomandante do 17º Batalhão da Polícia Militar, major Miller Michalick.

Segundo um dos organizadores do ato, Marco Lara, por enquanto não haverá passeata como nos outros atos. “Dessa vez só vamos ficar concentrados até o fim da votação e na expectativa de termos os 342 votos favoráveis.

Quando começamos a ir para rua, no ano passado, muita gente falou que não daria em nada, mas estamos vendo as mudanças. Um exemplo disso era que antes nós tínhamos apenas um deputado com base eleitoral em Uberlândia favorável ao impeachment e agora já são os três.

O mérito é de quem se manifesta contra a corrupção, de quem vai para as ruas fazer pressão”, opinou. Administradora levou cartaz para a praça(Foto: Caroline Aleixo/G1)
A administradora Ana Paula Vieira, de 51 anos, levou para a praça um cartaz com as palavras “Tchau, querida” e a bandeira enrolada no corpo.

Ela explicou o motivo de ser a favor do impeachment. “Essa governo não me representa porque tirou o futuro da próxima geração, das nossas crianças.

Mas esse momento significa a esperança de começar de novo e estou aqui por mim e por todos os brasileiros, lutando por um Brasil justo”, comentou. Advogado levou o filho para acompanhar transmissãode impeachment (Foto: Caroline Aleixo/G1)
O advogado Júlio Moreira, de 54 anos, foi para as ruas acompanhado do filho e da bandeira nacional em sinal de patriotismo.

“Agora o brasileiro vai ter que escolher entre uma pátria livre e democrática ou um caminho sem volta para a corrupção. Estou aqui hoje com meu filho, passando a ele princípios cívicos.

Temos que deixar  um país melhor do que pegamos para nossos filhos,” disse à reportagem. A servidora Ana Lúcia Gontijo, de 44 anos, fez cartaz com os amigos para mostrar arrependimento de já ter sido petista.

“Já votei no PT e era militante. Mas hoje me arrependo ao ver tanta roubalheira.

Chega. Agora me sinto na obrigação de lutar por um país melhor, pelo fim da corrupção e por mudanças”, relatou.

À esquerda, servidora de Uberlândia que disse ter se arrependido de ter votado no PT (Foto: Caroline Aleixo/G1)
.