Construção civil teve um dos piores resultados durante período (Foto: Biaman Prado/O Estado/Arquivo)
Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nessa sexta-feira (22), pelo Ministério do Trabalho e Previdências Social (MTPS), mostram que o Maranhão fechou o mês de março de 2016 com um saldo negativo de vagas de emprego, com déficit de 2,3 mil. No período, foram contratados 12,18 mil trabalhadores. Já as demissões somaram 14,49 mil.

O desempenho ruim teve maior impacto no setor da construção civil, com a perda de 1,57 mil postos de trabalho; seguido pela agropecuária, com 252 demissões. Na administração pública, no entanto, saldo positivo: 39 vagas de emprego foram criadas.

Demissões e admissõesNos três primeiros meses de 2016, o Maranhão registrou perda de 11,04 mil postos de trabalho (-2,31%). No período, as contratações somaram 34,84 mil postos, mas com 45,88 mil demissões.

No acumulado dos últimos 12 meses, houve redução de 4,21% no nível de emprego, com 20,51 mil postos de trabalho perdidos, saldo de 185,90 mil contratações contra 206,42 mil demissões.
.