Campanha de vacinação vai até o dia 20 de maio (Foto: Divulgação/ Semus)
A campanha de vacinação contra a gripe H1N1 terá início neste sábado (30) em todo o país com o Dia D de Mobilização Nacional. No Maranhão, a meta é imunizar 1,5 milhão de pessoas classificadas como prioritárias pelo maior risco de adquirirem complicações causadas pela doença. A campanha vai até o dia 20 de maio.

Nesta etapa da campanha serão vacinadas crianças a partir dos seis meses de vida até os cinco anos de idade, idosos, gestantes, trabalhadores da saúde, povos indígenas, puérperas (mulheres até 45 dias após o parto), população privada de liberdade (incluindo adolescentes e jovens sob medidas socioeducativas) e funcionários do sistema prisional. Também serão vacinadas pessoas portadoras de doenças crônicas não-transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais.

A definição dos grupos prioritários segue a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS). O Ministério da Saúde informou que a meta é vacinar 49,8 milhões de pessoas em todo o país.

O Maranhão é o quarto estado nordestino que mais receberá a vacina, totalizando 1,6 milhões de doses. A vacina trivalente distribuída pelo Governo Federal protegerá a população contra os subtipos da gripe A/H1N1, A/H3N2 e Influenza B, todos de acordo com as determinações da OMS para o ano de 2016.

A gripe H1N1 voltou a atrair a atenção da população após anos a epidemia que acometeu diversos países. Na região sudeste está concentrada a maior parte dos casos da doença.

Em todo o país já foram notificadas 153 mortes causadas pelo vírus. Segundo o Ministério da Saúde, a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da Influenza.

São LuísNa capital, serão cerca de 180 pontos de vacinação durante o Dia D de Mobilização Nacional contra a gripe distribuídos entre Postos de Saúde e postos volantes. O horário de atendimento será das 8h às 17h.

  A meta em São Luís é vacinar 200 mil pessoas. A Secretaria Municipal da Saúde informou que as pessoas enquadradas no público-alvo e que estiverem sem condições de se locomover aos postos de vacinação podem solicitar que um agente vá até a residência do acamado.

Basta que alguém comunique ao posto de saúde mais próximo da residência do paciente e uma equipe será destacada para fazer a imunização em domicílio.
.