‘A maior parte dos atendimentos envolve desvio de comportamento’, diz a presidente do Conselho Tutelar, Karina Rocha (Foto: Assessoria/Divulgação)
O mau comportamento de crianças e adolescentes, muitas vezes, não é resolvido pelos pais e familiares e, assism, vários casos acabam indo para o Conselho Tutelar, como aponta o órgão. Em Divinópolis, 70% dos casos atendidos na unidade são referentes à desvio de comportamento. Quem mais procura a ajuda dos profissionais são os próprios pais, de acordo com a presidente do Conselho, Karina Rocha.

“Eles se sentem, muitas vezes, incapacitados para lidar com determinadas situações e acionam o Conselho nestes casos”, disse.
Além disso, o Conselho recebe cerca de 10 ligações diárias de testemunhas denunciando casos de evasão escolar, comportamento inadequado em sala de aula e ainda maus tratos por parte de pais ou tutores.

Entretanto, Karine reforça que uma das maiores atuações do Conselho Tutelar é na evasão escolar.
“Deixamos bem claro para os pais que é obrigação deles manter a frequência escolar do filho.

A escola também tem sua parcela de responsabilidade para manter as crianças em sala de aula. Sobre as denúncias de maus tratos, sempre verificamos se o adolescente em questão já é acompanhado pelo órgão, em seguida, notificamos o pai e a mãe e então vamos até a casa da criança, mas isso vai de acordo com cada situação”, destacou.

Karina explicou também que os atendimentos, na maioria das vezes, são feitos presencialmente. “Isso ocorre principalmete quando a demanda é grave.

Atendemos as famílias que chegam através do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas). Mas em casos de denúncias temos sempre uma conselheira pronta para averiguar a situação no local”, explicou a presidente.

Unidade DivinópolisCinco conselheiras fazem o atendimento ao público das 8h às 10h e das 13h às 16h. Das 10h às 11h e das 16h às 17h30 as conselheiras trabalham internamente.

Desde o final de fevereiro, o Conselho Tutelar funciona na Avenida Getúlio Vargas, nº 268, no Centro. O espaço foi adaptado e montado de forma lúdica para atender as ocorrências contra crianças e adolescentes.

.