Mototaxista Benedito Sá foi vítima de espancamento, tentativa de homicídio e roubo em Macapá (Foto: Fabiana Figueiredo/G1)
“Ele me bateu muito. Na primeira pancada, eu caí no chão e só tinhas meus braços e pernas pra me defender. Foi terrível.

A intenção dele era bater na minha cabeça. Eu me fingi de morto”, contou o mototaxista Benedito José da Cruz Sá, de 57 anos, vítima de espancamento, tentativa de homicídio e roubo na Zona Oeste de Macapá na quinta-feira (21).

Ele teve o braço direito quebrado e os pés machucados com os golpes. Suspeito Dhionatan Pereira, 21 anos, é procuradopela polícia (Foto: BRPM/Divulgação)
De acordo com o Batalhão de Radiopatrulhamento Motorizado (BRPM), Dhionatan Castro Pereira, de 21 anos, é o suspeito dos crimes e está sendo procurado pela polícia.

A vítima, que estava desempregada e trabalhava informalmente há cerca de 3 meses, foi acionada pelo suspeito no fim da manhã de quinta-feira, feriado de Tirandentes, próximo a uma feira no bairro Jardim Felicidade, Zona Norte, para uma corrida de mototáxi até a Linha “H” da rodovia AP-440, na Zona Oeste, popularmente conhecida como quilômetro 9.
Chegando ao destino, o suspeito teria dito que buscaria o dinheiro em uma casa, que estava fechada.

Então Dhionatan pediu que o mototaxista fosse até a casa da ex-mulher, próxima ao terreno, onde pegou a chave da residência, mas não conseguiu abri-la. Segundo a vítima, foi nesse momento que o suspeito pegou um pedaço de madeira e começou as agressões.

Vítima usou pés e pernas para se defender deagressões; braço direito ficou quebrado(Foto: Fabiana Figueiredo/G1)
“Ele disse que tinha o dinheiro na casa. Chegou lá, ele não conseguiu abrir a casa.

Parece que ele já foi caseiro lá. Rodou, rodou e achou esse taru, de cercar quintal.

Ele me bateu muito. Ele queria me matar.

Eu me fingi de morto, ele parou, arrancou a chave no meu pescoço, pegou minha carteira e levou a moto”, lembra Benedito, que é diabético.
A agressão teria demorado em torno de 8 a 10 minutos, segundo a vítima.

Após o espancamento, roubo e fuga, o mototaxista disse que não conseguiu andar, e teve que se arrastar até encontrar uma casa, onde foi recebeu ajuda de moradores.
De acordo com o BRPM, o suspeito já foi procurado na residência da ex-mulher, dos pais, e no local de trabalho dele, mas não foi encontrado.

Ele teria sido preso na quarta-feira (20) pelo furto de um botijão de gás, foi apresentado no 2º Batalhão de Polícia Militar, e foi liberado.
“O homem se transformou.

Ele não estava bêbado, drogado, estava lúcido mesmo. Eu vou fazer dois aniversários.

Quero que ele seja pego, que se faça a justiça. Acho que não foi a primeira vez que ele fez isso.

Eu vi a morte ontem”, concluiu Benedito.
.