Vereador Mestre Pop (à esquerda) se sentiu ofendido com uma piada expressa pelo também vereador Zé Maria (à direita). Caso ocorreu em novembro de 2015 (Foto: Divulgação/ Câmara de Curitiba)
O Ministério Público Estadual do Paraná (MP-PR) denunciou, nesta terça-feira (3), o vereador José Maria Alves Pereira, conhecido como Zé Maria (SD), pelo crime de racismo. Em novembro de 2015, o acusado fez piada dirigida ao vereador Adilson Alves Leandro, conhecido como Mestre Pop (PSC).

Vizinhos de gabinete, Mestre Pop e Zé Maria foram a uma sala anexo ao plenário da Câmara,  em meio à sessão plenária do Legislativo, para tomar café, quando houve a ofensa. Segundo Mestre Pop, Zé Maria afirmou em voz alta: “Sabe por que preto entra em igreja evangélica? Para poder chamar o branco de irmão”.

“Ao dirigir-se à vítima (…) com palavras pejorativas, a alusão ofensiva referiu-se indistintamente a toda a raça negra no sentido de menosprezar e diferenciar esta coletividade”, explica o MP-PR.
A 7.

ª Promotoria de Justiça Criminal de Curitiba destaca que, com a piada racista, o parlamentar feriu a Lei 7. 716/89, que prevê punições para quem praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

A pena prevista para este crime é de reclusão por período de um a três anos e pagamento de multa. Conselho de Ética da CâmaraNesta quarta-feira (4), os membros do Conselho de Ética da Câmara de Curitiba vão votar, a partir das 14h30, o parecer da relatora Carla Pimentel (PSC) sobre o processo de injúria racial que envolve os dois vereadores.

Com não houve acordo entre ambas as partes, a comissão de votação vai analisar a possibilidade de penalidade interna ou não. Ao todo, são nove membros do conselho, mas dois não poderão participar da votação por recomendação da Procuradoria Jurídica (Projuris), já que constam como testemunhas no inquérito policial.

De acordo com o presidente do Conselho de Ética, vereador Mauro Ignácio (PSB), o regimento interno prevê três penalidades: “Seria (sic) uma censura pública, a suspensão do mandato temporário e a perda do mandato”. Também existe a possibilidade de arquivamento do processo.

Vereador se desculpaUm dia depois do ocorrido, o vereador Zé Maria (SD) pediu desculpas ao colega Mestre Pop (PSC). “Me perdoe, mais uma vez.

Que Deus ilumine seu caminho, e eu tenho certeza que Ele vai iluminar o seu e o meu, tá? Não me leve por mal porque eu gosto muito de você e quero dividir ainda essa bancado ao seu lado. Muito obrigado”, disse no Plenário.

Depois do pedido, os dois parlamentares se abraçaram. Na tribuna, Mestre Pop disse que perdoava o vereador Zé Maria, mas que não aceitava piadas preconceituosas: “Eu lhe perdoo, mas tudo aquilo que tem dentro da Justiça vai ser feito até o fim”.

Quer saber mais notícias do estado? Acesse o G1 Paraná
.