Mariana Ingrid, presa com maconha em Maceió (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Uma mulher foi presa com 15 quilos de maconha, neste domingo (17), na rodovia AL-115, no município de Palmeira dos Índios, no Agreste de Alagoas. De acordo com a Polícia Civil (PC), Mariana Ingrid Souza Oliveira, 23, estava em um ônibus que ia de São Paulo com destino a Garanhuns, em Pernambuco. A operação conjunta contou com a participação de agentes da Delegacia de Repressão ao Narcotráfico (DRN), policiais civis do Tático Integrado de Grupos de Resgates Especiais (Tigre) e militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope).

De acordo com o delegado Gustavo Barros, titular da DRN, a droga pertencia a Isaías Urbano da Silva, conhecido como “torrado”, 38. Segundo Barros, a suspeita trabalhava de “mula”, carregando as drogas para fazer a entrega.

“O ônibus foi interceptado na AL-115, no município de Palmeira dos Índios, sendo, após revista, confirmada a existência do entorpecente, tendo Mariana confessado que realmente transportava a droga a serviço de ‘torrado’, o qual estava esperando por ela na cidade de Garanhuns, destino final do ônibus”, disse o delegado. Segundo a PC, policiais foram em uma casa localizada em Garanhuns, onde possivelmente Isaías da Silva estaria, mas não conseguiram encontrar o suspeito.

A polícia informou que Mariana Ingrid foi levada à Delegacia de Repressão ao Narcotráfico, onde foi autuada por tráfico de drogas e associação para o tráfico. O delegado ainda pediu o apoio da população para colaborar com as investigações por meio de denúncia anônimas.

“As investigações vão continuar, para efetuar-se a prisão de Isaías Urbano da Silva, o ‘torrado’, o qual, a propósito já tinha sido alvo de outra investigação da DRN, pelo que já tem mandado de prisão preventiva em aberto, expedido pela 17ª Vara Criminal da Capital. Pede-se apoio da população para tanto, através do disque denúncia, pelo número 181, com a garantia do mais absoluto sigilo”, disse.

Ainda de acordo com a polícia, a operação foi fruto de uma investigação que durou cerca de dois meses, com suporte da Secretaria de Segurança Pública de Alagoas (SSP), e da 15ª Vara Criminal da Capital.
.