Fila para atendimento na Casa da Cidadania dobrou o quarteirão em Macapá (Foto: Divulgação/TRE-AP)
A dois dias do fim do prazo para cadastramento e regularização junto à Justiça Eleitoral, muitos macapaenses formaram longas filas dentro e fora da Casa da Cidadania nesta segunda-feira (2). A procura maior foi das pessoas em busca do primeiro título de eleitor.
Entre os que esperaram horas pelo atendimento estava o pintor Valdely da Silva, de 25 anos, que acompanhou a irmã adolescente na retirada do primeiro título.

Ele conta que por causa da profissão ficou sem tempo de realizar o serviço antes. Valdely da Silva, de 25 anos (Foto: Estevam Eliel/G1)
“Não vim antes por causa do trabalho, além disso, tenho outros compromissos.

Hoje pedi o dia de folga na empresa, para poder tirar o título da minha irmã. Como sempre o brasileiro deixa tudo para última hora, infelizmente é a verdade”, lamentou o pintor.

A estudante Rayane Ferreira, de 19 anos, confessa que procurou a Casa da Cidadania apenas pela obrigatoriedade de se tirar o título de eleitor, e pela necessidade do documento em concursos públicos e universidades públicas.
“Na verdade eu não queria tirar o título, mas sou obrigada.

É necessário para várias coisas, como arrumar emprego e na faculdade. Por mim nem votava”, desabafa a estudante.

Veridiano Colares, diretor geral do TRE-AP(Foto: Jéssica Alves/G1)
Para o Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP), o transtorno das filas para boa parte da população poderia ser evitado, pois o prazo para cadastramento iniciou em janeiro, e o órgão sempre atuou em campanhas para reforçar os prazos.
“A gente lamenta essa agonia, mas estamos atendendo desde janeiro, e quase não deu ninguém.

Isso é ruim tanto para população, quanto para os nossos funcionários. Pedimos que ninguém deixe para o último dia”, disse o diretor-geral do tribunal, Veridiano Colares.

O TRE-AP estima que nos dois últimos dias, cerca de 500 pessoas sejam atendidas. Ele reforça que o atendimento vai até as 17h, e mesmo assim, todos os que estiverem dentro do prédio após o horário serão atendidos.

Quem não conseguir tirar o documento eleitoral até o fim do prazo não poderá votar, e vai pagar multa para poder se regularizar. Sem o título, o eleitor pode não pode se empregar, tirar alguns outros documentos e participar de concursos públicos.

Eleitores lotam Casa da Cidadania nos ultimos dias de atendimento (Foto: Estevam Eliel/G1)
.