Suspeitos foram localizados após denúncia (Foto: Adneison Severiano/G1 AM)
O mototaxista Felipe da Silva dos Santos, de 22 anos, foi preso e um adolescente, de 17 anos, foi apreendido. Eles são suspeitos de envolvimento na morte de uma professora de 49 anos, durante um latrocínio – roubo seguido de morte – no dia 5 deste mês, no Conjunto Ajuricaba, Zona Centro-Oeste de Manaus. A identificação dos envolvidos ocorreu após a polícia oferecer a quantia de R$ 1 mil por informações sobre os autores do crime.

O mototaxista foi localizado na sexta-feira (8), em uma rua do bairro da Paz. Enquanto o adolescente estava na casa da mãe no Conjunto Jardim Versalhes, Planalto.

A recompensa oferecida à população foi dada pelo próprio delegado.
De acordo com o delegado, Abraão Serruya, uma pessoa entrou em contato com a polícia e deu informações sobre o paradeiro do adolescente.

A identidade do informante será mantida em sigilo.
“Ofereci a recompensa por questão humanitária e um sentimento de que teríamos que resolver essa situação em que a professora foi morta covardemente”, disse Serruya.

CrimesO delegado titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Ivo Martins, que acompanhou as investigações, informou que Felipe confessou ter envolvimento em, ao menos, outros sete assaltos na cidade.
No dia da morte da professora, Felipe contou que estava na moto com o adolescente quando avistaram a professora e outra colega de profissão e decidiram abordá-las.

Eles teriam pedido a bolsa da professora, mas ela se recusou e, em seguida, o adolescente atirou no tórax da vítima. Ainda na ação, o adolescente desceu a moto, pegou a bolsa e tentou atirar na outra mulher.

No entanto, a arma falhou e eles fugiram.
Na delegacia, Felipe negou ter participado dos sete assaltos junto ao adolescente.

“Esse foi o primeiro”, declarou.
O adolescente disse estar arrependido e afirmou ainda que após o crime vendeu os pertences roubados da professora.

“Estou arrependido. Foi a primeira vez que matei alguém”, disse.

O adolescente foi autuado por ato infracional análogo ao crime de latrocínio e omototaxista foi indiciado por latrocínio.
.