Protesto do MTST em Fortaleza interditou trecho da BR-116 no início da manhã (Foto: Edson Soares/TV Verdes Mares)
Membros do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) realizaram uma manifestação na manhã desta quinta-feira (28), na BR-116, em Fortaleza, contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Houve queima de pneus na altura do km 8 e a via chegou a ser interditada. A Polícia Rodoviária Federal do Ceará (PRF-CE) não soube informar com precisão quantos quilômetros de congestionamento foi formado devido a manifestação.

De acordo com Róger Medeiros, da coordenação estadual do MTST, o objetivo do ato é “denunciar a ação articulada para o golpe e o ajuste fiscal anunciado num possível governo [Michel] Temer”, informou. “O MTST não reconhece a legitimidade e legalidade desse possível governo”, acrescentou o representante.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), uma equipe foi acionada ao local e informou que o trânsito voltou a fluir normalmente por volta de 8h15. A concentração foi marcada para 7h e reuniu aproximadamente 80 pessoas, segundo balanço do movimento, incluindo representantes da Comunidade Che Guevara, que apoiaram o ato e reivindicam outras pautas da comunidade, incluindo habitação e saneamento básico.

O protesto organizado pelo MTST também ocorre em outras capitais do país, incluindo São Paulo, onde houve bloqueio de rodovias e avenidas. Ocupação no IncraCerca de 500 integrantes do Movimento Sem Terra (MST) ocupam, também nesta quinta-feira (28), a sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), localizado na Avenida José Bastos, em Fortaleza.

MST ocupa sede do Incra em Fortaleza (Foto: Divulgação/MST)
De acordo com a organização do movimento, os manifestantes estão mobilizados por duas pautas. A primeira contra o golpe e impeachment da presidente Dilma Rousseff.

A segunda pauta é econômica e engloba reforma agrária local e políticas públicas para agricultores cearenses.
Os trabalhadores estão acampados em frente o Incra.

Manifestantes colocaram faixas nos portões do prédio, mas não impediram entrada e saída dos funcionários do Incra. Homens da Polícia Militar acompanham o movimento, que segue de forma pacífica.

Durante ocupação de membros do MST, a Avenida José Bastos chegou a ser bloqueada (Foto: Divulgação/MST)
.