Buraco é resultado de obra sem conclusão na Zona Oeste de Macapá (Foto: Carlos Alberto Jr/G1)
Moradores do bairro Marabaixo 3, na Zona Oeste da capital, reclamam das condições precárias da rua Randolfo de Souza Gato. Buracos e lama no período chuvoso dificultam a circulação de veículos e pedrestres. Quem mora na região diz que o problema começou após uma obra de drenagem inacabada realizada pela prefeitura de Macapá.

Segundo o titular da Secretaria Municipal de Obras (Semob), Emílio Roberto Escobar, serviços de drenagem, desentupimento e instalação de bueiros na rua serão concluídos, mas foram paralisados devido ao período chuvoso. O gestor informou que a conclusão e asfaltamento da via ocorrerá a partir do mês de julho, durante o verão.

Poeira é um dos problemas de rua no bairroMarabaixo (Foto: Carlos Alberto Jr/G1)
O montador Cleberson Melo, que mora há cinco anos no bairro, contou que enfrenta problemas diariamente, não importando se o dia é de chuva ou de sol. “Quando não é poeira, somos obrigados a andar na lama”, reclamou.

“Essa rua era asfaltada, não tínhamos problemas até essa reforma. Para minimizar os danos, nós [moradores] tentamos tapar alguns buracos, com entulho e madeira.

Depois de meses, perdi a esperanças que um dia irão concluí-la”, completou.
Na quarta-feira (20), três veículos se envolveram em um acidente quando um deles tentava desviar de uma das crateras, contaram os moradores.

Benedito Sanches, de 36 anos, é dono de uma amassadeira de açaí, ele diz que o transtorno na rua também afeta o trabalho. Mecânico Benedito Sanches diz que buraco afentao trabalho (Foto: Carlos Alberto Jr/G1)
“Tinha clientes que vinham de outros bairros comprarem meu açaí, mas nas condições dessa rua, muitos optaram em procurar outras opções”, lamentou.

O mecânico Everton Ferreria falou que já procurou a prefeitura após seu carro ficar danificado.
“Fui diretamente prejudicado, e nenhum representante da prefeitura soluciona esse problema, que é antigo em nossa rua.

A situação está crítica e a população que fica prejudicada. Eles fizeram uma obra, mas não concluíram.

Apenas largaram, inacabada”, reclamou.
.