Novas celas serão feitas para abrigar presos do regime fechado e com transtornos (Foto: Divulgação/Sejusp)
O Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen) prevê disponibilizar até o fim de 2016 pelo menos 270 novas vagas nos pavilhões de segurança máxima e de atendimento para detentos com necessidades especiais. As obras estavam paralisadas e foram retomadas após convênio federal no valor de R$ 2,9 milhões. Iapen estaria com 1 mil vagas além da capacidade,diz Sejusp  (Foto: John Pacheco/G1)  
As estruturas pretendem minimizar a lotação no maior presídio do Amapá, localizado na Zona Oeste de Macapá.

O Iapen informou que acomoda 2. 650 presos, cerca de 1 mil a mais que a capacidade.

A maioria dos detentos na capital é do sexo masculino, com 2. 582.

No presídio feminino, são 112 mulheres.    
A Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) detalhou que serão construídos três pavilhões de segurança máxima, contendo cada um 14 celas, com capacidade total para 84 internos.

Até o início de 2017, a secretaria ainda planeja a construção de outra ala de segurança máxima para comportar até 500 novos presidiários.
Também começaram a ser construídas duas celas para detentos portadores de necessidades especiais.

Em janeiro, o Iapen assinou um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) se comprometendo a melhorar as condições dos alojamentos de presos diagnosticados com transtornos mentais.
O convênio federal garantiu também a construção do sistema hidrossanitário do Iapen que vai permitir a coleta e o tratamento de até 85% do esgoto produzido dentro do sistema carcerário.

.