A Polícia Civil do Paraná, em conjunto com a Polícia Militar (PM), realiza uma operação desde a madrugada desta sexta-feira (13) contra suspeitos de cometer dezenas de homicídos em Londrina, no norte do estado, em janeiro deste ano. Entre os alvos estão soldados da 4ª companhia da PM.
Ao todo, foram expedidos sete mandados de prisão temporária, 25 de busca e apreensão e seis de condução coercitiva, que é quando a pessoa é levada para prestar depoimento.

A prisão temporária tem prazo de cinco dias e pode ser prorrogada pelo mesmo período ou convertida em preventiva, que é quando o investigado fica preso à disposição da Justiça sem prazo pré-determinado.
Até as 7h12, um homem tinha sido preso em flagrante por porte ilegal de armas.

A série de assassinatos ocorreu no dia 30 de janeiro, quando nove pessoas foram mortas na zona norte de Londrina. Além dos mortos, os hospitais e unidades de saúde da cidade registraram ainda a entrada de pelo menos 16 pessoas baleadas.

De acordo com as investigações, a onda de assassinatos ocorreu após a morte de um policial militar, que tinha 33 anos. Ele foi baleado na Zona Norte de Londrina e não resistiu.

Provas colhidas pela perícia nos locais de morte, depoimentos de testemunhas e imagens de segurança colaboraram para a deflagração da operação, ainda de acordo com a polícia. Em depoimentos durante a investigação, os policiais suspeitos de envolvimento nos crimes negaram todos os fatos.

A Força-Tarefa montada para investigar os crimes é composta por policiais civis, militares e representantes da corregedoria da Polícia Militar. As investigações começaram um dia antes da série de mortes.

RESUMO DA OPERAÇÃO- Objetivo : prender suspeitos de terem cometido série de assassinatos em Londrina- Mandados: 38, sendo 7 de prisão temporária, 25 de busca e apreensão e seis de condução coercitiva. – Presos até 7h16: 1Quer saber mais notícias da região? Acesse o G1 Norte e Noroeste.

 
.