Operação Cajari foi deflagrada em reserva de Laranjal do Jari, no Amapá (Foto: Divulgação/ Polícia Federal )
A Polícia Federal (PF) iniciou na manhã desta quinta-feira (14) a operação “Cajari” que combate a comercialização e armazenamento ilegal de madeiras extraídas na Reserva Extrativista do Rio Cajari, na Zona Rural do município de Laranjal do Jari, a 295 quilômetros de Macapá, ao Sul do Amapá.
Segundo a assessoria de comunicação da PF, a Justiça expediu 18 mandados de busca e apreensão. O esquema, conforme investigação, envolvia empresários proprietários de estâncias madeireiras que comercializam produtos florestais sem qualquer documentação ou autorização legal.

Até esta publicação, não havia informações sobre a presos. Os envolvidos poderão ser responsabilizados por armazenamento de madeira sem documentação, e os que forem localizados em flagrante, encaminhados para a Justiça Federal em Laranjal do Jari, para audiência de custódia.

Eles ficarão à disposição da Justiça. Se condenados, os envolvidos poderão cumprir até 9 anos de prisão.

De acordo com a PF, denúncias anônimas levaram os policiais ao lugar onde a madeira era retirada ilegalmente. Participam da ação cerca de 100 pessoas, destas, 70 são policias federais da cidade de Laranjal do Jari e um efetivo de 20 policiais da capital.

No total, 18 mandados de busca e apreensão foram expedidos (Foto: Divulgação/ Polícia Federal)
.