Parte de danceteria desabou em fachada de lanchonete (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
Um imóvel de uma danceteria desabou parcialmente e atingiu a fachada de uma lanchonete na tarde desta segunda-feira (2), no Centro de Carandaí. Segundo o Corpo de Bombeiros, além da danceteria e da lanchonete, outros duas edificações comerciais tiveram a estrutura danificada devido ao desabamento. Todos os quatro imóveis envolvidos no acidente estavam interditados desde sexta-feira (29) pois apresentavam sinais de colapso na estrutura.

Ninguém ficou ferido.
O comandante do Corpo de Bombeiros de Conselheiro Lafaiete, Capitão Ronaldo Rosa Lima, disse que as quatro edificações apresentavam rachaduras e foram interditadas preventivamente devido a riscos de desabamento.

Imóveis envolvidos na ocorrência apresentavamrachaduras (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
“Após denúncias, nós visitamos os imóveis no local conhecido como Calçadão e averiguamos que havia risco de desabarem. A suspeita é que uma das causas do desabamento sejam as obras no sistema pluvial que a Prefeitura está realizando na área.

O local segue interditado, pois há riscos de o resto da estrutura desabar”, explicou o comandante.
O G1 entrou em contato com a Prefeitura de Carandaí, que informou que até o fechamento desta reportagem, representantes da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Prefeitura e engenheiros estão se reunindo para adotar medidas preventivas e soluções para o caso.

A assessoria de comunicação da Prefeitura informou que só irá se pronunciar após o fim da reunião.
A Polícia Militar (PM) prestou apoio à ocorrência e informou que a danceteria não funcionava há anos.

A reportagem tentou contato com os responsáveis pelo local, porém, as ligações não foram atendidas. De acordo com o Corpo de Bombeiros, além dos quatro imóveis envolvidos na ocorrência, outras edificações no Calçadão serão interditadas.

Obras em sistema pluvial pode ser uma das causasdo desabamento, dizem Bombeiros(Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
“Estamos com equipe em Carandaí e ainda estou aguardando o retorno sobre quantos outros imóveis terão que ser interditados. O problema agora é que háum poste de energia elétrica da Cemig [Companhia Energética de Minas Gerais] com risco de ser atingido por escombros e, se isso acontecer, poderá prejudicar outras edificações e, além disso, atingir pedestres.

Já solicitamos providências para a Cemig”, finalizou Ronaldo.
A reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação da Companhia de Energética de Minas Gerais em Juiz de Fora e aguarda informações sobre o caso.

Danceteria funcionva no imóvel que desabou parcialmente (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
.