Bancos de areia são vistos em várias áreas do Rio Negro (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)
Uma pesquisa irá avaliar amostras de 380 rios e igarapés da Amazônia, com intuito de subsidiar novos estudos de conservação e manejo de recursos hídricos. O levantamento será realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) e deve ser concluído até agosto de 2017. As informações foram divulgadas pela Fapeam.

O pesquisador Eduardo Rios Villamizar afirmou em nota que a pesquisa possui relevância pois irá fornecer informações sobre a ecologia dos rios e igarapés, além de contribuir com subsídios para definição e conservação das áreas úmidas da Amazônia.
“A contribuição para a sociedade será com o monitoramento de ambientes de áreas úmidas, dentre os menos estudados do bioma amazônico (igapó e savanas em áreas interfluviais).

Assim poderemos fornecer para a comunidade científica, sociedade civil e tomadores de decisão, dados de áreas primitivas com mínimo impacto antrópico, auxiliando na elaboração de diretrizes que garantam a sua proteção e uso sustentável”, afirmou.
Villamizar ressalta que os rios e igarapés estão sendo classificados mediante uma revisão sistemática de dados primários inéditos.

Durante o levantamento são analisados amostras da água e seus sedimentos. A pesquisa possui também dados secundários, colhidos em 250 publicações.

Barco escola são meio de tranporte para alunosdo interior (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)
O pesquisador diz que a classificação será feita a partir da divisão de dois grupos de áreas úmidas.
“O primeiro, apresentando os níveis de água bastante estáveis e, o segundo, com níveis de água variáveis.

Esses grupos são subdivididos em 15 principais tipos de áreas úmidas abrangendo desde os Andes até o estuário do Rio Amazonas. A qualidade química da água e sedimentos, devido à sua importância fundamental para a vida na água e nas áreas úmidas, é um dos níveis de classificação que subsidiam o refinamento das tipologias alagáveis amazônicas e ocupa o terceiro nível hierárquico após os níveis clima e hidrologia”, concluiu.

AnáliseVillamizar informou que já foram analisadas no Laboratório de Química Ambiental do Inpa 35 amostras de água e 45 amostras de solo coletadas em uma excursão à Estação Científica do Uatumã, em agosto de 2015.
Na estação, foram coletadas as amostras de lagos, rios e igarapés a partir de parâmetros da água como pH, cor, profundidade, condutividade, temperatura, oxigênio, entre outros.

Uma planilha com todos os resultados da análise, tanto da excursão, quanto as análises realizadas no laboratório foi elaborada.
.