PF desmonta esquema de fraudes previdenciárias no Maranhão (Foto: Divulgação/PF)
A Polícia Federal (PF) cumpriu na manhã desta terça-feira (19) 32 mandados judiciais, sendo nove de prisão temporária, 19 de busca e apreensão e 4 de condução coercitiva, numa operação que desmontou uma quadrilha que praticava crimes previdenciários no Maranhão. A Operação Vínculos ocorreu nas cidades de São Luís, São Bento, Palmeirândia, Pinheiro e Turilândia, e contou com uma força-tarefa formada pela PF, Ministério do Trabalho e Previdência Social (MPS) e Ministério Público Federal (MPF). O prejuízo identificado é de quase R$ 1,5 milhão.

O esquema criminoso, segundo a PF, contava com a participação de um ex-prefeito de São Bento, contadores, um advogado especializado em causas previdenciárias, um ex-funcionário do cartório de Palmeirândia, um servidor do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e outros intermediários. Entre os mandados, está a determinação para que o INSS suspenda o pagamento de 11 benefícios de pensão por morte e afastamento do servidor.

As investigações foram iniciadas em 2015 e apontaram que o esquema funcionava desde 2010, com concessão de benefícios de pensão por morte fraudulentos. Os envolvidos usavam identidades fictícias, por meio de falsificação de documentos públicos – por meio do Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), com a ajuda da Prefeitura Municipal de São Bento –, para conseguir os benefícios.

Os envolvidos foram indiciados por crimes de estelionato previdenciário, inserção de dados falsos, associação criminosa e falsidade ideológica, com penas máximas acumuladas que podem chegar a 24 anos de prisão.
.