Adilson era piloto experiente, segundo a esposa (Foto: Facebook/Reprodução)
O piloto de paramotor Adilson Fernandes Jordão Braga desapareceu na tarde de sábado (16), ao sair para um voo entre Umuarama e Pérola, no noroeste do Paraná. Até as 10h30 desta segunda-feira (18), ele não havia sido encontrado.
De acordo com o Corpo de Bombeiros, ele fez contato por telefone na tarde de domingo (17) e informou que não sabia onde estava.

Ele disse, ainda segundo a corporação, que estava caminhando e que o aparelho GPS, que indica as coordenadas geográficas para o voo, ficou sem bateria.
A esposa, Maria Isabel Ribeiro Braga, afirma que conversou com o piloto por volta da meia-noite de sábado e depois não conseguiu mais contato.

“Ele disse que o combustível acabou e estava aguardando socorro. Falou que andou muito com o motor nas costas, mas que estava bem, estava forte.

Depois, o celular só deu fora de área”, relata a mulher.
Ela diz que o marido citou que tinha encontrado uma casa em meio ao local desconhecido.

“Falou que andou dois quilômetros e encontrou uma casa, mas acho que não existe essa casa. Ele disse só para tranquilizar a família”.

Segundo a esposa, Braga é piloto experiente de paramotor, mas sempre fazia voos pequenos e “se arriscou demais” no sábado, em um trajeto de mais de 90 quilômetros, incomum à atividade habitual dele.
“Ele saiu para fazer um percurso de 90 quilômetros, que é muita coisa.

Geralmente, ele fazia voos curtos, rápidos. Nunca tinha feito esse trajeto.

Quando falei com ele, me disse que pegou um vento forte e teve que acelerar mais, gastando muito combustível. Por isso, fez o pouso forçado.

Agora, ninguém sabe onde ele está”, preocupa-se Maria Isabel.
O Corpo de Bombeiros diz que está fazendo um levantamento sobre o percurso e o piloto e deve iniciar as buscas pela região ainda nesta segunda-feira.

.