Construtora lançou campanha após ter prédios pichados em diversas cidades (Foto: Graziela Rezende/G1 MS)
A Polícia Civil identificou a atuação de ao menos 15 grupos de pichadores em Campo Grande, segundo a polícia. A ousadia é tanta que a investigação inclusive monitora perfis nas redes sociais, no qual eles divulgam o crime em prédios públicos e particulares. Alvo de reincidentes danos, uma construtora decidiu emitir recados aos pichadores e assim ser solidário com a comunidade.

“Nós instauramos um inquérito de forma generalizada e identificamos dezenas de grupos. O problema é que, em sua maioria, eles assim um termo de compromisso e vão embora.

Nós então buscamos atribuir o crime de uma forma mais organizada, inclusive com páginas nas redes sociais”, afirmou ao G1 o delegado Wilton Vilas Boas, titular da Delegacia de Repressão a Crimes Ambientais e Atendimento ao Turista).
No caso destes suspeitos, o delegado explicou que eles atuam em diversos bairros e principalmente durante a madrugada, para não levantar suspeitas.

Na última segunda-feira (25), câmeras flagraram a ação de jovens em um prédio comercial.
 As imagens mostram dois suspeitos na rua 14 de Julho.

Enquanto um jovem pega a lata de spray que é usada na pichação o outro monitora o local para encobrir o comparsa. A ação terminou com um prédio comercial pichado.

O dono do estabelecimento lamentou o ocorrido e o gasto que terá para limpar as paredes. Pichar prédios públicos e particulares é crime e a pena prevista, em caso de condenação, é de três meses a um ano de detenção, além da multa que é determinada pela Justiça.

RecadoEm nota, a assessoria de imprensa da MRV diz que lançou a campanha não só em Campo Grande, mas em todo o país. Prédios que foram alvos de pichações recebem o seguinte recado: “Atenção sr.

pichador. A cada mês que este muro permanecer limpo a MRV doará uma cesta básica para uma creche ou institutição de caridade de sua cidade”.

.