Greve dos servidores já dura mais de 30 dias em Divinópolis (Foto: Assessoria/Divulgação)
O prefeito de Divinópolis, Vladimir Azevedo, ofereceu reajuste de 6% nos salários dos servidores e R$ 1 por dia no vale alimentação – ou seja, passando de R$ 7 a refeição, para R$ 8 – durante uma reunião realizada com a categoria na noite segunda-feira (2). Os servidores, que estão em greve há mais de 30 dias, ainda não tiveram conhecimento da proposta. Eles pedem reajuste de acordo com a inflação de 11,27%.

De acordo com  a assessoria do Sindicato dos Servidores Municipais de Divinópolis (Sintram), às 17h desta terça-feira (3) haverá uma assembleia para que a proposta seja discutida. Antes disso, durante o dia os servidores participam de uma reunião em Belo Horizonte para discutir outras propostas que serão levadas à assembleia.

O resultado deve ser divulgado ao anoitecer, como ressaltou a assessoria. Prefeito de Divinópolis Vladimir Azevedo disse quegrave é descabidas (Foto: Anna Lúcia Silva/G1)Greve ‘descabida’Em pronunciamento feito no dia 5 de abril, o prefeito disse que o reajuste geraria um impacto da ordem de R$ 50 milhões no orçamento anual e declarou que o movimento era descabido.

Entretanto, no mês de abril, numa tentativa de negociação, a Prefeitura ofereceu reajuste de 3% para o fim da greve, mas o Sintram e o Sindicato dos Trabalhadores da Educação Municipal do Município de Divinópolis (Sintemmd) recusaram a proposta de aumento. Na ocasião as entidades criticam o fato de o governo negar a recomposição salarial com base na inflação de 2015, de 11,27%.

Em ofício enviado ao prefeito, lideranças dos sindicatos afirmam que nada justifica o governo atribuir o não reajuste a 11,27% com base na crise causada pela diminuição da arrecadação e dos repasses do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). SintramO departamento jurídico do Sintram disse que desde que a greve foi deflagrada o prefeito não se dispôs a negociar.

Além disso, o jurídico garante a legalidade do movimento, já que a greve é um direito expresso na Lei de Greve 7. 783/89.

O prefeito chegou a pedir no mês anterior que os grevistas encerrassem o moviemnto para diálogo, entretanto, a presidente do Sintram, Luciana Santos, destacou que a cateogira não o faria. Servidores durante manifestação no primeiro dia de greve (Foto: Reprodução/TV Integração)
.