Materiais apreendidos com quadrilha suspeita de roubo de carros em Uberlândia (Foto: Polícia Civil/Divulgação)
A Polícia Civil de Uberlândia prendeu nesta terça-feira (26) no Bairro Martins, em Uberlândia, uma quadrilha especializada em roubo de veículos. O delegado responsável pelo caso, Hugo Leonardo Marques de Jesus, informou que eles confessaram ser responsáveis por pelo menos 12 roubos de veículos e duas tentativas de explosão de caixas eletrônicos, entre elas uma no campus Umuarama da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Ainda segundo o delegado, os cinco presos com idades entre 18 e 28 anos eram investigados pela Polícia Civil há cerca de dois meses.

Ao G1, o delegado contou que os militares esperavam abordar os suspeitos em flagrante para efetuar a prisão e, na noite de segunda-feira (25), a Polícia Civil os localizou os durante um roubo. De acordo com o delegado Marques, na abordagem os militares encontraram três dos cinco investigados dentro de uma caminhonete roubada, um deles portando uma arma de fogo.

Os outros dois  foram localizados na residência onde os criminosos se reuniam e guardavam os materiais utilizados nas ações.
Na casa foram apreendidas duas armas de fogo, munições, uma dinamite, colete a prova de balas e dois rádios HTS sintonizados na frequência da Polícia Militar (PM).

Marques também informou que o proprietário da caminhonete que os criminosos conduziam no momento da abordagem policial teve o veículo recuperado e reconheceu um dos suspeitos como o autor do roubo. Outras três vítimas de outras ações dos suspeitos foram localizadas pela Polícia Civil.

Todos os presos foram conduzidos à Delegacia e, em seguida, levados para o Presídio Jacy de Assis. Associação criminosaAinda sobre as investigações, o delegado ressaltou que cada integrante da quadrilha, que agia há muito tempo na cidade, tinham funções específicas nas ações como clonagem, apoio, transporte até o local do crime etc.

Ele também informou que só um dos suspeitos, de 18 anos, não tem passagens pela polícia e que outro há havia sido condenado a 30 anos de prisão, mas a cumpria em regime aberto.
.