Uma novidade no trânsito de Uberlândia poderá ser notada, ainda neste semestre, caso a lei que prevê a utilização das faixas exclusivas de ônibus por taxistas seja sancionada. O projeto de lei foi aprovado em segunda discussão na Câmara Municipal neste mês e segue para apreciação do poder Executivo. O projeto de autoria da vereadora Michele Bretas (PSL) segue tendência praticada em capitais como São Paulo e Goiânia, onde o fluxo de veículos e pedestres é maior.

A justificativa do projeto se dá com o intuito de minimizar os problemas de congestionamento do trânsito na cidade, principalmente nos horários de pico, e tornar o serviço de táxi mais ágil e viável ao usuário. A legislação prevê, ainda, que os taxistas só deverão utilizar as faixas exclusivas para ônibus do transporte coletivo de Uberlândia em caso de transporte de passageiros.

Se lei municipal for sancionada, taxistas poderão trafegar na faixa exclusiva apenas durante transporte de passageiros (Foto: Araípedez Luz/Secom/PMU)
A cidade conta com três faixas de ônibus nos corredores da Avenida João Naves de Ávila, que vão do Terminal Central ao Terminal Santa Luzia, nos dois sentidos, e na Avenida João Pinheiro, área central da cidade. Com a construção do novo corredor de ônibus, serão criadas mais duas faixas exclusivas na Avenida Segismundo Pereira, que corta o Bairro Segismundo Pereira.

Isso seria ótimo para nós no quesito agilidade e tempo, além de aliviar bastante a circulação no Centro, por exemplo”.
Wender Miranda
Para o taxista Wender Miranda Souza, que há quatro anos trabalha no setor, a medida pode auxiliar na circulação dos táxis.

“O trânsito em Uberlândia está ficando cada vez mais complicado. Muitos veículos, muita gente com pressa.

Isso seria ótimo para nós no quesito agilidade e tempo, além de aliviar muito a circulação no Centro, por exemplo. Em determinados horários fica impossível trafegar em alguns trechos como na própria João Naves de Ávila”, comentou.

Com mais de 10 anos como taxista, Washington Francisco Oliveira também compartilha da opinião do colega. Ele afirma ter trabalhado em capitais como São Paulo e Belo Horizonte e enxerga a praticidade que a nova medida traria não apenas ao setor.

“Com certeza facilitaria muito o nosso trabalho. Hoje o taxista perde muito tempo no trânsito de Uberlândia e o serviço talvez acaba saindo prejudicado.

Nas capitais onde trabalhei essa legislação funciona bem e a circulação dos ônibus também flui normalmente, sem quaisquer prejuízos ao transporte público”, opinou Washington.
Nas capitais onde trabalhei essa legislação funciona bem e a circulação dos ônibus também flui normalmente”.

Washington Oliveira
O G1 também procurou as três empresas de transporte coletivo da cidade, mas o único representante encontrado preferiu não opinar sobre o assunto antes de se inteirar da discussão. O porta-voz da Supersit, associação que representa as empresas concessionárias de transporte urbano de Uberlândia, também não foi encontrado.

A assessoria de comunicação da Prefeitura informou que o projeto deu entrada na Procuradoria Geral do Município na semana passada e, que em virtude do feriado, deverá ser analisada pelo prefeito ainda nesta semana.
.