Comandante geral da PM fala que o projeto visa a reestruturação da polícia (Foto: Gustavo Almeida/G1)
Um projeto de lei apresentado há cerca de 10 dias na Assembleia Legislativa do Piauí prevê a criação de mais quatro comandos da Polícia Militar no estado. De acordo com a proposta, os novos comandantes seriam responsáveis por regiões específicas. Dessa forma, o Piauí deixaria de ter um único comandante de policiamento do interior e passaria a ter também os comandantes de policiamento do Semiárido e do Cerrado.

Além disso, Teresina também passaria a ter mais um comandante, ficando o policiamento da capital dividido em comandos das regiões metropolitanas I e II. De acordo com o coronel Carlos Augusto Gomes, comandante geral da Polícia Militar do Piauí, o projeto enviado para a Assembleia visa reestruturar e modernizar a corporação.

“Nós temos desde 80 anos atrás um único coronel que comanda o policiamento do interior. Os municípios do interior cresceram, a população aumentou e nós estamos dividindo essa responsabilidade por região com um coronel para acompanhar cada área.

Teremos três comandantes do interior e dois na capital”, falou.
Além disso, a Polícia Militar também objetiva criar um batalhão na região da Vila Irmã Dulce, na Zona Sul de Teresina.

No médio Parnaíba, a Companhia de Policiamento de Água Branca, que cobre 18 municípios, também deverá ser transformada em batalhão, segundo a proposta.
O projeto tramita atualmente nas comissões técnicas da Assembleia Legislativa após ter votação adiada por falta de entendimento entre governo e oposição.

O impasse ocorre por conta de outros pontos da proposta considerados polêmicos e bastante contestados. Entre eles está a criação de uma diretoria especializada em serviços de inteligência, o que alguns deputados consideram atribuição apenas da Polícia Civil.

.