Acessos de saída e entrada da ponte terão placas de sustentação unificadas (Foto: Abinoan Santiago/G1)
Está prevista para iniciar em outubro uma série de reparos nas rampas de acesso à ponte Sérgio Arruda, principal ligação entre o Centro e a Zona Norte de Macapá, informou a Secretaria Municipal de Obras (Semob) da capital. O planejamento ocorre após uma inspeção de engenheiros ter apontado falhas na estrutura, ainda que sem risco de desabamento, segundo o estudo. Emílio Escobar, titular da Secretaria Municipal deObras de Macapá (Foto: John Pacheco/G1)
Os problemas foram identificados na estrutura de sustentação das rampas de acesso, que são formadas por placas de concreto encaixadas e preenchidas com aterro.

A explicação dos técnicos foi de que ao longo do tempo, com o fluxo dos veículos, o aterro foi compactado e gerou espaços para as placas se movimentarem, segundo a Semob.
O secretário de Obras, Emílio Escobar, disse que o tabuleiro da ponte, que tem 58 metros, não sofreu danos e que é sustentado por quatro pilares.

Sobre as rampas de acesso, uma de 60 metros, fica no lado do bairro Pacoval; e a outra, de 46 metros, está no bairro São Lázaro.
“Trouxemos um consultor que nos deu uma solução para os problemas, e deu uma solução paliativa para os usuários.

Vamos começar a trabalhar, e é um trabalho urgente. Vamos grampear uma placa na outra para ela ficar monolítica [somente uma placa], dando sustentabilidade a uma área de oito metros”, explicou o secretário.

A motivação para a inspeção na ponte construída há 13 anos foi a queda de parte de uma das placas de sustentação do acesso. O início dos reparos paliativos não deve interditar a Sérgio Arruda, conforme a Semob.

Em princípio, a secretaria deverá pedir à Companhia de Trânsito e Transportes de Macapá (CTMac) a sinalização para que veículos pesados não passem em alta velocidade no local. Ponte Sérgio Arruda é o principal acesso para a Zona Norte de Macapá (Foto: Abinoan Santiago/G1)
.