Vendas materiais escolares pelas livrarias e papelarias ajudou a aumentar a receita do comércio em MS (Foto: Reprodução/TV Morena)
A receita nominal do comércio de Mato Grosso do Sul cresceu 4,2% em fevereiro de 2016 em relação ao mesmo período de 2015. É o que aponta o levantamento conjuntural do setor produzido pelo Instituto de Pesquisas Fecomércio-MS (IPF), com base em dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Conforme o IPF, o aumento da receita no estado ficou acima do crescimento registrado no país na mesma comparação, que foi de 3,3%.

Dos dez setores analisados na pesquisa, sete registram incremento no faturamento e três queda.
O melhor desempenho no mês no estado foi obtido pelo de comercialização de “livros, jornais, revistas e papelarias”, com aumento de 8,4%, seguido pelo de “artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos”, com 8,3% e de “cosméticos e lubrificantes”, com 7%.

Em contrapartida, os que apresentaram retração foram o de venda de “equipamentos e manutenção para escritório, informática e comunicação”, com 5,5%, “materiais de construção”, 4,1% e “veículos, motos, partes e peças”, com 0,3%.
O levantamento indicou que assim como nos outros estados da região Centro-Oeste, a variação do estoque de emprego no comércio de Mato Grosso do Sul foi negativa em fevereiro deste ano ante o ano passado e que houve uma redução de 0,7% na remuneração nominal do setor, que tem média no estado de R$ 1.

157,33.
.