Seu Goiano vende adubo orgânico em Porto Velho há 15 anos (Foto: Hosana Morais/G1)
Trabalhando há 20 anos com reciclagem em Porto Velho, Sebastião Costa, mais conhecido como ‘Seu Goiano’, se dedica à venda de adubo orgânico na cidade há 15 anos. Atualmente trabalhando como catador autônomo, ele recebe resíduos da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Semagric) e da Secretaria Municipal de Serviços Básicos (Semusb). A cada 15 dias, ele se dirige à sede da Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de rua de Porto Velho (Asprovel) para recolher resíduos trazidos de condomínios que trabalham com a coleta seletiva.

Conforme Seu Goiano, o seus maiores parceiros são os chacareiros e donas de casas que têm trazido resíduos orgânicos até o local de trabalho. “O apoio das secretarias é muito importante, porém, quando um produtor ou uma senhora dona-de-casa traz seus restos de legumes, frutas e verduras, já me ajuda bastante.

Não importa a terra que eu usar, os resíduos a fazem se transformar em adubo orgânico,” explicou. O catador autônomo utilizada sua moto com umacarretinha para recolher os residuos orgânicos(Foto: Hosana Morais/G1)
O catador de materiais recicláveis acredita que seu trabalho é de fundamental importância para a sociedade.

“Reciclar resíduos orgânicos é questão de saúde pública, pois muitas vezes com minha moto e minha carretinha, tiro o lixo das beiras de igarapés e rios, evitando a poluição deles”, informou Goiano.
A presidente da Associação do Instituto Babaçu da Amazônia (Aiba), Isabel Cristina, apoia sempre que pode a iniciativa de Goiano.

“Sempre que podemos damos uma força. O último apoio foi a compra de 300 mudas de Buritis, realizada com duas empresas privadas.

Nós compramos e ele nos ajudou a plantar em uma escola da Zona Rural da cidade. Compramos também adubo orgânico, ajudando o senhor Goiano,” informou Isabel.

Resíduos orgânicos são deixados para sedecompor e produzir a compostagem(Foto: Hosana Morais/G1)CompostagemPara que o adubo possa ser produzido, Goiano explica que utiliza o método da compostagem, que é um processo de transformação que pode ser executado com a mistura de resíduos orgânicos e outros materiais.
“Primeiro nós recebemos os resíduos.

Se quisermos acelerar o processo podemos colocar uma lona em cima. O tempo que esse material demora para se decompor varia de 120 a 150 dias, depende de como o material está.

Se ele estiver grosso, demora mais, se tiver triturado é mais rápido. Pouco depois, unimos a compostagem na terra, que vira o adubo orgânico.

Têm pessoas que gostam de peneirar o adubo, mas ele grosso também é de ótima qualidade,” disse Goiano. Venda do AduboConforme Goiano, os interessados em adquirir adubo orgânico podem procurar a empresa do Seu Goiano, localizada na rua Petrolina, nº 10.

264, bairro Ayrton Senna, Zona Leste da capital. O saco com aproximadamente 45 quilos do adubo custa em média R$ 25,00.

No local, mudas de plantas frutíferas, flores e verduras também são vendidas. Informações podem ser obtidas através do número (69) 9276.

8434. O catador de resídos também vende mudas de furtas, legumas e verduras, além do adubo orgânico (Foto: Hosana Morais/G1)
“A cada 100 sacos de adubo que eu produzo, 20 eu vendo para comprar o necessário, o restante eu doo para as pessoas que trazem seus resíduos orgânicos até a sede, pois o que eles fazem me ajuda, então eu faço uma troca e ninguém sai perdendo”, disse Goiano.

.