Parque Ecológico do Cocó é área de preservação permanente (Foto: Governo do Estado/Divulgação)
O secretário de Meio Ambiente do Ceará, Artur Bruno, defendeu nsta sexta-feira (6), na Assembleia Legislativa do Ceará,  a proposta de criação de uma Unidade de Conservação, no modelo mosaico, na bacia do Cocó, composto por uma rede de áreas protegidas de 2. 907,44 hectares.
O projeto de regulamentação do Parque do Cocó foi apresentado durante audiência pública conjunta da Assembleia Legislativa e da Câmara de Vereadores de Fortaleza.

“Estamos ouvindo todas as entidades e comunidades interessadas, no sentido de formatarmos a proposta mais democrática possível”, explicou o secretário.
O evento ocorreu no Complexo das Comissões da Assembleia Legislativa, atendendo a requerimento dos deputados Dra.

Silvana (PMDB), Renato Roseno (Psol) e Elmano Freitas (PT). Pela Câmara de Vereadores, compuseram a mesa os vereadores João Alfredo (Psol) e Deodato Ramalho (PT).

A audiência contou com a participação de diversos ambientalistas.
A proposta determina um mosaico de subunidades dispostas da seguinte forma: 1.

050,85 hectares do Parque Estadual do Cocó; 146,40 hectares da Área de Relevante Interesse Ecológico (Arie) Estadual das Dunas do Cocó; 157,00 hectares da Arie do Rio Cocó; 1. 019,49 hectares da Área de Proteção Ambiental (Apa) da Sabiaguaba; 467,61 hectares do Parque Natural Municipal de Sabiaguaba; 37,80 hectares do Parque Linear Adahil Barreto; 15,72 hectares da Arie Municipal Dunas do Cocó e 12,57ha da Arie das Dunas da Cidade 2000.

De acordo com o titular da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), o Parque do Cocó será um dos maiores parques urbanos de todo o mundo, superando o Ibirapuera, em São Paulo (221 hectares), e o Central Park (341 hectares), em Nova York.
Segundo Artur Bruno,  outras duas audiências deverão ser agendadas como com llideranças comunitárias.

Uma será marcada na Sabiaguaba, onde há maior número de moradores, e a outra envolverá as comunidades do Tancredo Neves, Cidade 2000 e Cordeiro.
.