Professora Aurilene Vieira de Brito (Foto: Arquivo Pessoal)
A professora piauiense Aurilene Vieira de Brito seria a quinta pessoa a conduzir a tocha olímpica em solo brasileiro. Entretanto, logo no início do revezamento da tocha em Brasília, realizado nessa terça-feira (3), manifestantes contra e a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff impediram que a diretora de uma escola de Cocal dos Alves conduzisse a chama. Apesar do ocorrido, a educadora não manifestou descontentamento.

Aurilene Vieira momentos antes da chegada datocha (Foto: Arquivo Pessoal)
“Houve um tumulto quando a chama iria ser passada para mim, uma confusão tremenda. Por medida de segurança, decidiram interromper a passagem do fogo para mim.

Sem frustração, o que vale é o reconhecimento pela escola, pela educação na cidade e o convite de reconhecimento”, disse ela, que é diretora da Escola Augustinho Brandão, uma das melhores escolas públicas do Brasil.
Segundo o Comitê Olímpico Brasileiro, Aurilene foi uma das escolhidas para conduzir a chama porque colocar sua escola entre as melhores no ensino médio no país, ao vencer a defasagem educacional dos alunos e conquistar dezenas de medalhas em Olimpíadas de Matemática e Química.

“Aurilene sintetiza a determinação dos brasileiros e comprova que a educação é capaz de superar barreiras econômicas e regionais”, diz trecho de texto do COB.
A professora contou ainda que a organização do comitê olímpico lhe enviou uma carta pedindo desculpas e que deixou aberta nova oportunidade para ela participar do revezamento.

Além disso, ela ganhou a tocha com a qual foi feito o revezamento. “A organização me enviou uma carta explicando toda a situação e eu entendi perfeitamente.

Disseram que querem contar com minha participação e que eu escolhesse uma nova data para participar do revezamento, mas eu preferi não mais participar. O importante é o reconhecimento para a educação aplicada em nossa escola, eu seria apenas um detalhe”, afirmou a educadora.

Chegada e percursoA tocha foi acesa no dia 21 de abril na cidade de Olímpia na Grécia. Nessa terça-feira (3)  o revezamento começou em Brasília.

No Piauí, as cidades de Parnaíba, Piracuruca, Piripiri, Altos, Campo Maior e Teresina recebem, no dia 10 de junho, a visita da Tocha. Há ainda a possibilidade de inclusão do município de São Raimundo Nonato, berço do homem americano, na programação.

A tocha será carregada por ex-atletas, atletas e personalidades regionais. A chama circulará por 20 mil quilômetros por terra e 10 mil milhas aéreas pelo país, até a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, dia 5 de agosto, no Maracanã.

A Chama Olímpica é um importante símbolo na historia dos Jogos Olímpicos. O ponto mais alto da tocha representa o Sol.

As montanhas, o mar e o chão da Calçada de Ipanema estão representados em seu corpo.
.