Palestra aconteceu no auditório do Hospital Regional de Cacoal (Foto: Magda Oliveira/G1)
Os profissionais responsáveis pela segurança pública de Cacoal, município a 480 quilômetros de Porto Velho, e de toda a região da Zona da Mata de Rondônia, se reuniram na manhã de terça-feira (19) no auditório do Hospital Regional, onde acompanharam um ciclo de palestras sobre a importância de se preservar os locais de crime. De acordo com o perito criminal Barnabé Pereira da Costa, é de fundamental importância a preservação da cena, para que o trabalho pericial seja de fato conclusivo.
Conforme o delegado regional Arismar Araújo, que também participou do treinamento, vários problemas já foram registrados durante investigações, pelo fato da cena do crime ter sido alterada.

“Quando a cena do crime é alterada, prejudica todo o trabalho de investigação e isso recai sobre a Polícia Civil, já que somos nós que temos a obrigação de investigar e apresentar à família o resultado e as circunstâncias. O tema é importante e irá contribuir com o nosso trabalho”, garantiu Arismar.

Servidores de segurança pública e popularesparticiparam da palestra em Cacoal(Foto: Magda Oliveira/G1)
O evento foi direcionado para profissionais que atuam em órgãos da segurança pública, como Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Detran e Semttran, além de acadêmicos e comunidade em geral.
As palestras foram ministradas por instrutores da Academia de Polícia de Porto Velho, lotados no Instituto de Criminalística.

Os temas abordados foram: preservação de locais de crime, acidentes em barragens, coletas de DNA e digitais.
De acordo com o perito criminal Barnabé Pereira da Costa, as pessoas e até mesmo os profissionais de segurança, precisam aprender sobre a importância de não adulterarem as cenas de crimes e acidentes.

“É bem complicado para o perito realizar a perícia em um local que sofreu alterações. Costumamos dizer que a cena do crime ou até mesmo o cadáver, falam com o perito, e caso haja modificação no local, a perícia também poderá ter o resultado não conclusivo”, explica Barnabé.

.