Manifestantes foram retirados de sessão na Câmara (Foto: João Boaventura/Agência Miséria)
Após tumulto entre vereadores e servidores de Juazeiro do Norte, no interior do Ceará, a sessão que iria votar o reajuste salarial teve intervenção policial e foi suspensa. Os servidores do executivo municipal são contra a proposta de reajuste da prefeitura, de 7%, e reivindicam aumento de 10,65%.
Trabalhadores da Guarda Municipal, servidores da saúde e meio ambiente, em greve há mais de 10 dias, ocuparam o plenário da Câmara de Vereadores de Juazeiro do Norte desde a manhã desta terça-feira.

A via em frente à Câmara foi interditada pelo manifestantes, e o acesso à Casa foi bloqueado. De acordo com a Câmara, mesmo com o protesto, foi dado entrada ao projeto que institui o reajuste salarial aos trabalhadores.

A votação do projeto ainda não tem data definida, mas já começou a tramitar.
De acordo com o prefeito, Raimundo Macedo, não é possível atender à reivindicação dos servidores e garantir um reajuste de 10,64% por falta de previsão orçamentária no município.

O prefeito alega que a crise econômica pela qual passa o país dificulta um reajuste acima de 7%, conforme estabelecido na proposta.
.