Ônibus da mineradora foram impedidos de acessar garagem da empresa (Foto: Danilo Quixaba/Mirante AM)
Um protesto de funcionários ligados ao Sindicato dos Ferroviários no Maranhão, Pará e Tocantins (Stefem) impede a entrada de ônibus na base da mineradora Vale no bairro do Anjo da Guarda, em São Luís (MA), na manhã desta terça-feira (12). Segundo o sindicato, não há impedimento da entrada de funcionários. O objetivo do bloqueio aos ônibus – feito com objetos queimados em algumas das entradas – é permitir que os funcionários tenham acesso às reivindicações do sindicato.

Ao menos 1,7 mil dos mais de 5 mil funcionários trabalham no turno matutino, segundo o Stefem. O movimento não prejudica as operações do Trem de Passageiros da Vale nem o trânsito na avenida dos Portugueses, que dá acesso à empresa.

Faixa com reivindicação foi posta na entrada daVale no MA (Foto: Danilo Quixaba/Mirante AM)
Segundo o presidente do Stefem, Lúcio Azevedo, o movimento é nacional e tem como foco sensibilizar a mineradora sobre abonos, convenção coletiva e, em especial, o pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) 2015, que não é regulamentada em lei, mas é negociada entre a Vale e os sindicatos.
“Somos 18 sindicatos que compõem o movimento sindical da Vale em todo o Brasil.

Atingimos nossa produtividade, ultrapassando o patamar dos 118%, e a Vale alega que não conseguiu devido ao baixo valor das commodities de minério de ferro, não conseguiu atingir o fluxo de caixa operacional em R$ 5,9 bilhões, mas a empresa está neste terceiro mês deste ano já apresentando recuperação”, diz.
O protesto tem apoio e participação da Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Ao G1, a Vale informou que ainda irá se posicionar sobre o assunto ainda pela manhã. Funcionários da Vale em São Luís seguiram à pé por causa do protesto (Foto: Danilo Quixaba/Mirante AM)
.