Thiago Fogaça (PTC) foi empossado como vereador nesta terça (11) (Foto: Emily Costa/ G1 RR)
O vereador Thiago Fogaça (PTC) tomou posse na manhã desta quarta-feira (11) na Câmara Municipal de Boa Vista. Ele assume o lugar de Adelino Neto (PSL) afastado pela Justiça na sexta (10) acusado de fraudar aluguéis de carros.
Fogaça recebeu 1.

183 votos nas eleições de 2012, e era suplente dos vereadores Adelino Neto e Mauricélio Fernandes (PMDB). Com o afastamento de Neto, ele passa a ocupar a vaga.

À imprensa, o novo vereador afirmou que deve aproveitar os últimos meses antes das próximas eleições para “trabalhar em prol do povo”. Ele afirmou que deve adotar uma postura neutra frente ao Executivo municipal.

“Vamos aos bairros para reivindicar aquilo que os moradores precisam e atuar na fiscalização do Executivo”, frisou, acrescentando que vai levantar as bandeiras da juventude, Educação e Saúde. “Vamos plantar sementes para colher lá no futuro”.

Sobre o afastamento de Neto, o parlamentar afirmou “estar triste pelo caso”. “Temos que ser transparentes e trabalhar para o povo, não para o próprio bolso”, declarou.

Adelino Neto, que era presidente da Comissão de Defesa do Consumidor e vice na Comissão de Ética e Decoro Parlamentar e membro da Comissão, foi afastado após decisão da Justiça.
Neto foi acusado pelo Ministério Público de Roraima (MPRR) de usar falsos aluguéis de carros de R$ 7,5 mil para garantir o recebimento de verbas indenizatórias.

Ao todo, ele teria ganhado R$ 112 mil com o esquema que tinha participação do pai dele e de outras duas pessoas. A determinação da Justiça também prevê o bloqueio de bens de todos os envolvidos.

Posse pode ser revertida, diz presidente da CâmaraConforme o presidente da Câmara Edilberto Veras (PSDC) a posse de Fogaça pode ser revertida caso o parlamentar recorra da decisão.
“Se isso ocorrer, teremos que dar posse novamente a Neto”, pontuou Veras.

Caso Fogaça permaneça no cargo, a Câmara deve convocar novas eleições para compor as vagas deixadas pelo vereador afastado nas Comissões de Ética e de Defesa do Consumidor.
Questionado sobre as intimações entregues à Justiça a seis vereadores na terça-feira (10), o presidente da Casa informou não ter conhecimento do teor das notificações.

“Não sei o que chegou para eles, mas sei que eles certamente devem recorrer dessas intimações para sanar esses problemas”.
.