Suspeito admitiu o crime, mas nega que tenha amarrado a vítima (Foto: Rickardo Marques/G1 AM)
Um homem de 22 anos foi preso por suspeita de estuprar uma criança de 10 anos. O crime teria ocorrido durante os anos de 2013 e 2014, quando o padrasto de Wylderley Pereira da Silva mantinha um relacionamento com a mãe da vítima. A criança relatou em depoimento que era amarrada e amordaçada.

O suspeito foi localizado na manhã desta segunda-feira (11) na Avenida Getúlio Vargas, no Centro de Manaus.
Durante a apresentação do suspeito na Delegacia Geral de Polícia Civil o homem admitiu ter praticado o crime.

A títular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) afirma que em depoimento, a vítima relatou que Wylderley utilizava uma corda para imobiliza-lá.
“A vítima afirma que os atos vinham acontecendo desde 2014, quando ela tinha sete anos.

Foi noticiado na Depca o abuso quando ela já estava doente, já com oito anos. Ela conta que o suspeito chegava de madrugada, amordaçava ela com uma meia e amarrava ela com uma corda de estender roupa e os abusos eram dos mais variados possíveis”, disse Juliana Tuma.

A vítima teria afirmado em depoimento que recebia ameaças do suspeito e que o homem coordenava de que maneira a criança deveria se comportar durante o abuso. O homem admitiu em depoimento ao G1 a prática do crime, mas nega que teria amarrado a criança.

Na época, Wylderley tinha livre acesso à residência da vítima, pois o pai do suspeito mantinha um relacionamento com a mãe da menina. Juliana Tuma afirmou que suspeito era monitoradohá cerca de um mês(Foto: Rickardo Marques/G1 AM)
A criança ficou internada durante 7 dias para tratamento médico, devido as doenças sexualmente transmissíveis que teria adquirido após os abusos.

Wylderley declarou durante a apresentação, que era usuário de drogas e que teria cometido o abuso apenas três vezes.
Juliana afirmou que o suspeito estava sendo monitorado há cerca de um mês, mas que desde a expedição do mandado de prisão preventiva, em julho de 2014, as equipes da Depca tentam localizar Wylderley.

O suspeito foi indiciado por estupro de vulnerável e será encaminhado à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa.
.