Rafael Valadares, de 19 anos, e Luís Fernando, de 18 anos, foram presos em Caracaraí, no Sul de Roraima (Foto: Divulgação/Polícia Militar)
A Polícia Militar de Caracaraí, no Sul de Roraima, prendeu dois suspeitos de envolvimento no sumiço do assistente social Flávio Araújo, de 29 anos.
Conforme a PM, o primeiro suspeito a ser preso foi Rafael Amandes Valadares, de 19 anos. Ele foi flagrado por volta das 18h dessa terça (26) em uma boca de fumo no bairro Livramento.

Ao ser detido, o jovem afirmou à PM que estava morando em Caracaraí para se esconder, pois estava sendo acusado de envolvimento no sumiço do assistente social desaparecido desde a sexta-feira (15). Flavio Araújo, de 29 anos, sumiu na sexta (15)após receber uma ligação e sair de casa(Foto: Reprodução/Facebook)
Questionado sobre o desaparecimento, Valadares disse que não teria participação no crime.

Com o suspeito, a PM achou seis trouxinhas de pasta-base de cocaína.
“Ele afirmou que apenas pegou o carro do assistente social para vender e contou que um amigo dele, que estava escondido na mesma casa tinha assassinado o assistente social”, relatou a polícia.

Rafael Valadares já tem passagem pela polícia por roubo e corrupção de menor.  
O carro de Flávio foi achado incendiado na noite de quarta-feira (27) no Anel Viário, no Distrito Industrial, zona Oeste de Boa Vista.

No veículo, não havia nenhum bem da vítima.
Ao fazerem as buscas na casa apontada por Valadares, os policiais localizaram Luís Fernando Araújo Veloso, de 18 anos, que segundo ele, teria participado do homicídio de Flávio.

Segundo a PM, Valadares afirmou ainda que o corpo de Flávio foi enterrado na região do Anel Viário. No celular do suspeito, a PM encontrou ainda várias mensagens e áudios sobre o que teria acontecido com o assistente social.

Após serem presos, os dois suspeitos foram entregues à Polícia Civil, que está investigando o desaparecimento de Flávio. A hipótese de homicídio ainda não foi confirmada pela polícia.

DesaparecimentoFlávio Araújo, de 29 anos, sumiu na sexta (15) após receber uma ligação e sair da casa onde morava com a família, em Boa Vista.
“Ele estava estudando para um concurso e recebeu essa ligação às 22h35.

Em seguida, ele vestiu uma bermuda, disse para minha mãe que iria voltar logo, saiu e não foi mais visto”, relata a irmã dele, Dinalva Gama.
.