Agência de Curimatá ficou totalmente destruída com a explosão (Foto: Divulgação/Polícia Militar)
A polícia continua a caçada aos bandidos que participaram da tentativa de assalto ao Banco do Brasil de Curimatá, Sul do Piauí, na semana passada. Na noite da segunda-feira (9), os suspeitos foram interceptados em uma barreira montada pela polícia e houve uma nova troca de tiros. Apesar do confronto, eles conseguiram escapar e seguem sendo perseguidos pelas forças de segurança da região.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Piauí, os suspeitos foram surpreendidos em uma estrada vicinal entre as cidades de Curimatá e Avelino Lopes. Eles utilizavam uma caminhonete modelo D-20 e estavam com dois reféns quando se depararam com barreira montada pela polícia.

Após o confronto, o carro e os reféns foram liberados e os suspeitos fugiram a pé pela mata.
Policiais de grupamentos da Bahia e de Pernambuco especializados em ações na caatinga auxiliam nas buscas.

Ainda conforme as informações da Secretaria de Segurança, uma quantia em dinheiro e alguns explosivos foram deixados para trás pelos criminosos. Até agora, cinco suspeitos foram presos e outros dois acabaram sendo mortos nos confrontos com a polícia ocorridos no dia do assalto.

Em entrevista ao G1, o subcomandante da Polícia Militar do Piauí, coronel Lindomar Castilho, informou que a polícia enfrenta dificuldades de comunicação na região, mas mesmo assim continua em permanente caçada aos criminosos. Segundo ele, oito bandidos participaram diretamente da explosão do banco, mas a quantidade de pessoas envolvidas com o bando é maior.

“É uma região de difícil comunicação, mas as equipes estão em campo montando barreiras e perseguindo os criminosos. Policiais da Bahia e de Pernambuco estão dando apoio”, disse o comandante.

Lindomar Castilho informou ainda que entre os integrantes do bando estariam alguns membros da família Araquan, conhecidos pela prática de grandes assaltos na região do Polígono das Secas.
A tentativa de assalto ao Banco do Brasil de Curimatá aconteceu nos primeiros minutos da madrugada da quinta-feira (5), quando homens fortemente armados com fuzis explodiram a agência do município que fica a 775 km de Teresina.

A polícia chegou a perseguir os criminosos logo após a ação e dois confrontos ocorreram no mesmo dia.
.