Imagens da transmissão da partida e denúnciasanônimas colaboram nas buscas pelos suspeitos(Foto: Reprodução/TV Gazeta)
Alguns dos torcedores envolvidos na briga generalizada ocorrida no domingo (8), no estádio Rei Pelé após a final do campeonato Alagoano, já foram identificados, e podem ser presos a qualquer momento.
A informação foi confirmada nesta segunda-feira (9) pelo comandante de Policiamento da Capital (CPC), coronel Wilson.
De acordo com o coronel, os procedimentos necessários para a localização dos suspeitos já estão sendo empregados pelas equipes da Polícia Militar (PM).

“Algumas das pessoas que localizamos pertencem a torcidas organizadas. Recebemos informações pelo Disque-Denúncia, e também trabalhamos com as imagens da transmissão da partida e das redes sociais”, explica o comandante do CPC.

Ainda segundo ele, o comando conta com ajuda de especialistas para identificar outros suspeitos por meio das imagens disponíveis. “Ainda hoje [nesta segunda] teremos alguma resposta para dar à sociedade alagoana”, conclui.

Atuação da PMO coronel Wilson também falou à reportagem do G1 a respeito da atuação da PM durante a partida, e principalmente, quando inciou-se a confusão entre os torcedores.
“Tínhamos um efetivo de 300 homens dentro de campo para fazer a segurança dos jogadores e dos árbitros.

Isso foi perfeito. E quando começou a confusão, é possível ver que o tempo resposta entre as primeiras agressões e a chegada do primeiro policial foi de 33 segundos, o que podemos classificar como uma resposta rápida”, afirma.

Para o comandante do CPC, a atuação da polícia, no geral, foi satisfatória. “O campo estava lotado, e a polícia fez a proteção para evitar que mais pessoas invadissem o campo.

Devido às circunstâncias, a atuação dos policiais foi satisfatória”. AgressãoUm dos torcedores agredidos durante a confusão, um adoelscente de 17 anos, segue internado no HGE.

A assessoria de imprensa da unidade de saúde informou nesta segunda que a vítima permanece na área vermelha em estado estável, e reforça ainda que ele está consciente.
O governador Renan Filho (PMDB) utilizou as redes sociais para criticar a briga generalizada que marcou a partida entre CSA e CRB.

Ele classificou as cenas de violência como “selvageria, inaceitáveis e que envergonham as famílias”.
.