Márcio comprou um carrinho para vender água de coco pelas ruas de Porto Velho (Foto: Hosana Morais/G1)
O Dia Nacional do Trabalhador é comemorado neste domingo (1°) e segundo o Sistema Nacional do Emprego em Rondônia (Sine-RO) a taxa de desemprego no estado oscila entre 4,5 a 4,8%. De acordo com o diretor do Sine Estadual, Augusto Celso, a taxa de desemprego é mínima em relação ao restante do país. Enquanto alguns setores contratam, pessoas acham alternativas para se manterem financeiramente.

Conforme Augusto, o que movimenta a economia no estado é o Agronegócio. “Com a queda de empregos na construção civil, muitos trabalhadores acabaram desempregados.

A alternativa para eles é se especializarem em outras áreas. É o que eles vêem fazendo”, explicou Augusto.

Trabalhadores desempregados formaram filas emfrente ao Sine Estadual em Porto Velho(Foto: Hosana Morais/G1)
Para Maria Doroteia, que é gerente de uma loja de roupas em Porto Velho, a crise diminuiu um pouco das vendas, mas não ao ponto de causar demissões.
“Em abril contratamos duas pessoas, para compor nosso quadro de funcionários.

Sempre buscamos contratar vendedores que já tenham experiência, mas quando eles não possuem o capacitamos para isso. Embora com a crise afetando o Brasil, o nosso setor de vendas tem sentido um leve baque, mas sabemos que as pessoas continuarão comprando”, afirmou Doroteia.

A crise fez com que Márcio Dos Santos ficasse desempregado há quatro meses e ele viu nela a oportunidade de começar um negócio. “Eu tinha carro e emprego.

Ainda consegui ficar com meu veículo até março, porém a crise apertou e acabei vendendo. Investi em um carrinho de vender água de coco e tem me dado um bom lucro.

Em dia quente chego a vender 70 cocos, essa foi a minha alternativa para sair do desemprego”, declarou Márcio.
Na última segunda-feira (25), trabalhadores desempregados lotaram o Sine Estadual em busca de  vagas, divulgadas em uma rede social.

A confusão foi imensa e algumas pessoas chegaram a quebrar o portão da instituição.
.