Esposa e funcionários ajudam a fazer hambúrguer (Foto: Ellyo Teixeira/G1)
Na contramão da crise, um técnico em logística deixou para trás seu emprego em Miami e recomeçou do zero com um investimento voltado para o mercado gastronômico em Teresina. Gláucio Junior viu sua situação melhorar ao trocar o trabalho no salão do automóvel pela produção de hambúrguer gourmet em food truck (veículos adaptados para virar lanchonetes). Gláucio Junior, dono de um food truck(Foto: Ellyo Teixeira/G1)
“Eu sempre trabalhei no ramo de logística e morando em Miami pude observar que os food trucks faziam sucesso.

Depois de um ano morando lá decidi largar tudo e investir no ramo alimentício. Não me arrependo, pois o negócio está dando certo e já penso em outros projetos para estender meu empreendimento”, relatou.

Food truck de comidas mexicanas(Foto: Ellyo Teixeira/G1)
Ainda segundo o empresário, o negócio vem dando tão certo que ele ainda não sentiu os efeitos da crise econômica. “Não conheço essa palavra, pois o ramo de alimentação não teve baixa.

Desde que comecei há três meses que as coisas só têm melhorado para mim e minha família. Ganho quatro vezes mais do que quando trabalhava com logística”, relatou Gláucio.

A estudante e empresária Andressa Monteiro foi outra que aproveitou a oportunidade e abriu um food truck de comidas mexicanas. “Eu morava na Austrália e sempre comia comidas mexicanas.

Assim que retornei ao Brasil tive a ideia e comecei a colocar em prática. Tivemos que fazer uma especialização e aperfeiçoamento em “restaurantes ambulantes” para que tudo isso desse certo”, contou a jovem.

Para Andressa, a maior dificuldade ainda é a questão do cardápio. “As pessoas ainda pensam que todo food truck vende sanduíches e quando chegam aqui não é diferente: perguntam logo se tem hambúrguer e temos que informar que trabalhamos com comida mexicana.

Mas temos notado também um certo aumento no consumo desse tipo de comida. A coisa tem dado certo “, comentou.

ModelosQuem deseja empreender nessa área deve escolher o formato que pretende trabalhar. Hoje, há food trucks montados em caminhões, trailers, vans, kombis, triciclos e até bicicletas.

O investimento varia de R$ 50 mil a R$ 200 mil, dependendo da área de atuação, já que os alimentos podem ser totalmente preparados no veículo, ou apenas finalizados nele.
.