Três novos casos do vírus H1N1 foram confirmados em Manaus, segundo informou a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS), na tarde desta segunda-feira (18). Com os novos registros, o Amazonas passa a ter cinco casos confirmados da doença em 2016, incluindo uma morte. De acordo com a FVS, exames realizados no Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), do Governo do Estado, confirmaram a ocorrência do vírus.

Os pacientes – duas crianças menores de cinco anos e uma mulher, mãe de uma delas — apresentavam síndrome gripal. Elas não têm registros de viagem, o que aponta a circulação do vírus no estado.

A FVS informou que os pacientes não têm evidências clínicas de complicações e tiveram atendimento ambulatorial, com coleta de material para exames, cujas amostras foram encaminhadas para o Lacen, segundo a FVS. “Todos se recuperaram do quadro, sem maiores problemas”, informou o diretor-presidente da FVS, Bernardino Albuquerque.

Casos em investigaçãoSegundo o órgão, são aguardados o resultado da análise de outras três amostras que foram encaminhadas ao Lacen, serviço credenciado pelo Ministério da Saúde para realizar os testes, por meio da metodologia de biologia molecular. Os resultados devem sair nesta semana.

A FVS-AM informou que reforçou as orientações à população que mantenha os cuidados com a higiene, como a lavagem das mãos ou o uso do álcool gel, e que evite lugares fechados, de muita aglomeração. VacinaçãoA Secretaria de Saúde disse que o Amazonas deve receber, nesta terça-feira (19), do Ministério da Saúde, o segundo e último lote de vacinas contra a Influenza, que permitirá concluir o abastecimento dos municípios para a grande campanha nacional de imunização que começa no dia 30 deste mês e vai até 20 de maio.

Com o primeiro lote de vacinas, que chegou ao Estado no início de abril com 500 mil doses, a Susam iniciou o abastecimento dos municípios mais distantes de Manaus. Quem deve ser vacinadoOs grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde para receber a proteção contra a gripe incluem as pessoas com 60 anos ou mais de idade; crianças na faixa etária de seis meses a menores de cinco anos de idade (quatro anos, 11 meses e 29 dias); as gestantes; as puérperas (até 45 dias após o parto); os trabalhadores de saúde; povos indígenas; portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais; a população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.

Dia de MobilizaçãoNo dia 30, um sábado, as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) estarão funcionando, das 8h às 17h, em todo o Estado para participar do Dia Nacional de Mobilização contra a Influenza, que marca o início da campanha de vacinação.
.