Questionários são aplicados no campus Umuarama da UFU (Foto: Caroline Aleixo/G1)
Um projeto de pesquisa realizado simultaneamente em 40 países pretende comparar as diferentes populações ao redor do mundo e detectar como a diversidade cultural pode afetar os padrões de relações sociais. O estudo é desenvolvido pela Universidade da Breslávia, na Polônia, e o Brasil colabora a partir do envio de dados coletados por cinco universidades federais, entre elas, a Universidade Federal de Uberlândia (UFU).
Serão comparados os padrões de relacionamentos interpessoais de voluntários de 18 a 55 anos.

Depois de passar pelo processo de tradução dos questionários para diversas línguas, a fase é de aplicação de questionários para a posterior análise dos dados e preparação dos manuscritos para publicação.
A UFU já iniciou a aplicação dos questionários neste semestre e os participantes não serão identificados, podendo participar tanto a comunidade acadêmica, como a população de forma em geral.

“A nossa participação, sem dúvidas, contribuirá para colhermos frutos para o desenvolvimento científico local e nacional, visto que nos permite produzir conhecimento científico com o envolvimento da comunidade”, disse o professor da UFU e coordenador da pesquisa no Brasil, Wallisen Tadashi Hattori.
A pesquisa conduzida na UFU tem o apoio do Departamento de Saúde Coletiva e do Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde, ambos da Faculdade de Medicina.

Os questionários são aplicados no campus Umuarama sob a disponibilidade de agendando prévio dos participantes. Para participar, os interessados podem entrar em contato pelo endereço de e-mail wthattori@ufu.

br ou diretamente pelo Facebook do coordenador.  Parceria remanescenteHá cinco anos, Hattori fazia pós-doutorado em Psicobiologia e conheceu o casal de antropólogos poloneses Piotr Sorokowski e Agnieszka Sorokowska.

Em função dos interesses comuns nos trabalhos de pesquisa, em 2012, surgiu a primeira oportunidade de parceria.
A nossa participação, sem dúvidas, contribuirá para colhermos frutos para o desenvolvimento científico local e nacional”.

Wallisen Hattori
O pesquisador contou que participou de uma pesquisa conjunta com 35 países sobre satisfação marital. Entre 2013 e 2014, executaram a coleta de dados e, no ano passado, confeccionaram dois manuscritos para publicação em revistas científicas internacionais.

 
“Com o sucesso do projeto anterior, a Dra. Sorokowska nos convidou para colaborar neste novo projeto de pesquisa sobre as diferenças individuais nas relações interpessoais, o qual aceitamos de imediato.

Esta é, de fato, uma grande oportunidade de envolver nossas universidades em pesquisas internacionais, dando visibilidade aos grupos de pesquisa do Brasil através da produção de artigos de relevância internacional”, disse Wallisen.
.