Maria das Graças Morais encontrou na receita simples a saída para enfrentar as dificuldades (Foto: Jéssica Alves/G1)
Na luta contra a depressão há 21 anos, a dona de casa Maria das Graças Morais Barbosa, de 67 anos, encontrou em uma receita simples a saída para enfrentar a doença e driblar a crise financeira, ocasionada com a morte do marido, à época. Ela passou a comercializar ‘chopps’, também conhecidos como geladinho ou sacolé, na própria residência. Dona de casa faz sucesso na internet com vendados chopps (Foto: Jéssica Alves/G1)
Bastam alguns minutos na casa de Maria das Graças, localizada na Av.

Ataíde Teive, no Centro de Macapá, para perceber que os produtos são bastante procurados. O motivo é que a marca “Chopp da Vovó”, criada pelo filho dela, Gabriel Morais, de 29 anos, e pela namorada dele, Larissa Guimarães, de 35 anos, ganhou repercussão na internet, depois de conquistar amigos e familiares.

Maria das Graças fabrica o produto desde 1995, para complementar a renda de um salário mínimo que recebia como pensão, e assim sustentar o filho único. Seguindo uma receita de família, o chopp começou a ser produzido, com a venda de aproximadamente 30 unidades por semana, com 4 opções de sabores.

“Enfrentamos problemas financeiros porque ganhava apenas um salário mínimo da aposentadoria do meu marido, e isso não era o suficiente. Eu tinha que criar meu filho, Gabriel.

Então comecei a fazer os chopps, mais para os conhecidos e assim ganhar um dinheiro a mais”, lembrou. Maria das Graças e o  filho Gabriel, que deixou o emprego para ajudar a mãe no negócio (Foto: Jéssica Alves/G1)
A ideia de criar a marca deu certo e logo foi conquistando mais clientes, que conheceram o produto por meio das redes sociais.

O atleta Marinado Palha, de 23 anos, treina judô na academia localizada ao lado da casa de Maria das Graças. Ele diz que faz questão de comprar a iguaria sempre que encerra o treino, no horário noturno.

“Considero meu ponto obrigatório para ir depois do treino, considero ele o melhor sorvete congelado de Macapá”, elogiou.
Com um sorriso no rosto e muita simpatia, Maria das Graças avalia que o sucesso na venda dos chopps funciona como uma espécie de terapia no tratamento contra a depressão, que precisa ser controlada com o auxílio de remédios.

Para ela, o principal motivo é o contato com os clientes. No total, 4 freezes são abastecidos com osprodutos (Foto: Jéssica Alves/G1)
“Muito além de lucro financeiro, a gratificação em poder fazer isso está na satisfação e carinho de nossos clientes.

Posso dizer que ganhei muitos netos de coração, que querem me conhecer. É uma terapia para mim poder fazer os chopps e ver a alegria deles”, disse.

Gabriel comemora o resultado positivo, tanto nas vendas quanto na melhora emocional da mãe. Ele diz que o sucesso foi tanto que decidiu deixar o emprego para ajudar Maria das Graças e ficar mais tempo próximo a ela.

“Hoje brinco que o remédio dela é o chopp, porque passa o dia fazendo e dorme melhor, não precisa mais de medicação. Isso foi uma grande vitoria.

Ela se sente bem, se sente importante. Está muito bem e forte e futuramente espero que ela possa vencer totalmente o uso dos remédios para controlar as emoções”, falou Gabriel.

Ele conta que a decisão de largar o emprego surgiu após perceber a necessidade da mãe em ter mais pessoas auxiliando na produção dos chopps, mesmo com o apoio da namorada e do primo, Tiago, de 22 anos. Devido ao grande número de produção, aproximadamente 700 chopps por dia, ele passou a ajudar em tempo integral.

Chopps são feitos de maneira diferenciada daconvencional (Foto: Jéssica Alves/G1)
“Não foi fácil para mim fazer isso, mas eu vi que existe uma necessidade de estar aqui mais próximo dela, até porque ela já está com a idade avançada e enfrenta uma depressão. E o negócio está dando muito certo.

Mesmo eu ainda estando com medo e com dúvidas, vou apostar nisso. Chegou o momento certo, de estar presente”, falou, emocionado.

A idosa acredita que o segredo do sucesso está no amor e no carinho que acrescenta à receita tradicional, preparada com polpa de frutas, açúcar e leite, com o diferencial de ser feito de maneira cremosa, tamanho maior do que o convencional e conter pedaços de frutas em algumas versões.
“Sempre faço os chopps com muita dedicação, como tudo na vida, e penso em minha família, no meu filho.

Gostamos de fazer artesanalmente e com amor, que faz o diferencial no resultado final”, disse.
Larissa Guimarães auxiliou na criação da logomarca e páginas no Facebook e no Instagram para ajudar a divulgar os produtos de Maria das Graças.

Neste período também surgiram novas receitas, como banana caramelizada, côco queimado e chocolate. Hoje o cardápio conta com 21 sabores.

“Tudo começou de maneira informal, com o intuito de ajudar nos negócios da ‘dona’ Graça. Não foi algo extremamente comercial, mas apenas uma maneira carinhosa de contribuir para o trabalho sincero dela”, falou Larissa.

Marca tem atualmente 21 sabores diferentes com produção diária de 700 unidades (Foto: Jéssica Alves/G1)
Gabriel diz que planeja fazer novos investimentos para a produção, que diariamente abastece 4 freezers com os sucos congelados.
“Futuramente queremos investir mais, porque surgiu a necessidade natural de atender à demanda que aumentou.

Queremos apostar, para que possamos crescer com isso que fazemos com amor e sinceridade”, falou.
Maria das Graças diz que se sente agradecida com o bom momento no negócio próprio e a aprovação que tem dos clientes.

Ela conta que pretende estender a produção por muito tempo.
“Só tenho a agradecer a Deus, ao meu filho, meu neto e minha nora, além dos clientes, que me ajudam muito a vencer essas batalhas.

Sem eles eu não seria nada e hoje estou muito feliz com tudo o que está acontecendo. Pode ter certeza que os ‘Chopps da Vovó’ continuarão fazendo a alegria por muitos anos”, disse, com alegria.

.