Projeto aprovado determina multa de R$ 185 para quem utilizar o transporte público sem pagar passagem (Foto: Adriana Justi / G1)
Os vereadores de Curitiba aprovaram nesta segunda-feira (16), em primeira discussão, o projeto de lei que determina multa de R$ 185 para os chamados “fura-catracas” – aqueles que utilizam o sistema público de transporte sem pagar passagem.  
A votação ocorreu após ser adiada por três vezes, com 27 votos favoráveis. O único contrário foi da vereadora Professora Josete (PT).

O valor da multa estipulada corresponde a 50 passagens, que atualmente vale R$ 3,70.   Conforme o texto aprovado, em caso de reincidência, o valor passa para R$ 370.

O infrator flagrado tiver menos de 18 anos, a lei prevê que o responsável deva efetuar o pagamento.
O vereador Rogério Campos (PSC) afirmou que a multa é um mecanismo para que o “fura-catraca” não fique na cadeia ao lado de assassinos ou traficantes, por exemplo.

Ele acredita que dobrar a multa, em caso de reincidência, vai inibir a ação.
O “fura-catraca” foi definido como aquele que pula a catraca ou entra no ônibus pela lateral da plataforma da estação-tubo e pelas portas traseiras, destinadas ao desembarque.

A sessão foi acompanhada por simpatizantes do projeto, que levaram para a Câmara faixas pedindo a aprovação do projeto de lei. PrejuízosO sindicato das empresas concessionárias do transporte coletivo divulgou neste mês de maio dados que apontam prejuízo anual de R$ 4,5 milhões com os “fura-catracas”.

O levantamento feito pelas empresas em março deste ano mostra que houve aumento de 18% na ação dos chamados “fura-catracas” em relação à última pesquisa, em novembro de 2015. Os dados mostraram que a média de passageiros que embarcam sem pagar passagem é de 3.

831 por dia.
A pesquisa ainda apontou que a estação-tubo Rio Barigui, próxima ao Park Shopping Barigui, chegou a registrar mais invasões (640) do que passageiros pagantes (526) nos sete dias pesquisados.

A estação com o maior número de invasões, no entanto, foi a Praça Carlos Gomes, no sentido Terminal do Boqueirão, com média de 250 infrações por dia.
Em uma tipologia determinada pela pesquisa, os infratores foram classificados e ranqueados nas seguintes categorias: usuários comuns (32%), gangues/tribos urbanas (22%), estudantes (19%), torcedores (6%) e outros (21%).

Quer saber mais notícias do estado? Acesse o G1 Paraná.
.