O Projeto Fraternidade Sem Fronteira, criado em Campo Grande, ajuda crianças carentes de comunidades de Moçambique, na África. A Organização Não-Governamental (ONG) desenvolve ações que incluem atendimentos médico, odontológico, alimentação a atividades de recreação e de aprendizado. (Para ajudar acesse a página da ONG)O diretor financeiro do Fraternidade sem Fronteiras, Paulo Melo conta como o projeto funciona.

“Cada criança inserida tem um padrinho e por trás há um custo mensal de R$ 50. Servimos duas refeições por dia para elas.

Elas têm acompanhamento escolar pedagógico e de caravanas de dentistas e de médicos que são pessoas [voluntários] que aderiram ao projeto”, explica.
Para ajudar basta apadrinhar uma criança que faz parte do projeto.

O esforço dos voluntários já tem dado resultados na área da saúde. Doenças como a aids, a malária e a desnutrição vitimam menos pessoas nas regiões que o projeto atende.

Desde o início dos trabalhos do projeto foram construídos centros de acolhimento, onde são realizadas as atividades. Para contribuir não é preciso viajar até a África.

A organização tem um bazar e todo o lucro é revertido para os trabalhos.
A sanitarista e voluntária Maria Aparecida da Silva, conta que o projeto tem sete anos e atende cerca de 3500 crianças.

“Foram registrados duas mortes nesse período, vemos o tanto que é importante. Duas refeições salvam vidas, as crianças têm a oportunidade de crescer saudáveis”, finaliza.

“Você pensa que doa muito, mas na verdade você recebe muito mais do que você doa. A gente doa nosso conhecimento, mas o que a gente recebe é amor, gratidão e benção desse trabalho fantástico.

É assim, algo indescritível”, encerra Maria Aparecida. Criança atendida pelo Fraternidade Sem Fronteira na Àfrica (Foto: Reprodução/ TV Morena)
.