O presidente dos EUA, Barack Obama, concede coletiva de imprensa neste domingo (24) na Alemanha (Foto: REUTERS/Kai Pfaffenbach)
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse que a União Europeia e os EUA precisam avançar com um acordo de livre comércio ainda em fase de negociação, que segundo ele é benéfico para as duas partes.
Ele viajou à Alemanha neste domingo (24) para uma reunião com a chanceler Angela Merkel, onde tentará convencer os europeus a aderir ao tratado de livre comércio em negociação atualmente com a União Europeia (UE).
O presidente EUA falou em uma coletiva de imprensa com a chanceler alemã, Angela Merkel, um de seus aliados mais próximos em lidar com a oscilante economia global e crises de segurança no Oriente Médio e na Ucrânia.

Obama deseja concluir o acordo antes de deixar o poder, no início de 2017.
“É indiscutível” que o livre comércio tem fortalecido a economia dos EUA e também trouxe enormes benefícios para os países que se dedicam a isso, disse Obama sobre o Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio de Investimento (TTIP).

Segundo seus defensores, o acordo poderia impulsionar cada economia em cerca de US$ 100 bilhões.Negociações paradasAs negociações sobre o TTIP estão paralisadas por fortes divergências entre as duas partes, alimentadas por um ceticismo crescente das opiniões tanto nos Estados Unidos como na Europa.

Em Hanover, mais de 35 mil pessoas protestaram no sábado contra o megaprojeto.Também no governo alemão, considerado um dos principais defensores do projeto na Europa, cresce a impaciência.

O acordo “fracassará” se não existirem concessões de Washington, advertiu neste domingo o ministro alemão da Economia, Sigmar Gabriel. O número dois do Executivo germânico rejeitou mais uma vez um texto que, segundo ele, no momento pode ser resumido em poucas palavras: “Compre (produto) americano”Também na França a resistência aumenta.

O presidente François Hollande se nega a falar sobre o TTIP em um encontro que será organizado por Merkel em Hanover na segunda-feira, que terá a presença de Hollande e Obama, além dos chefes de Governo da Grã-Bretanha e da Itália.Alemães protestam contra tratado de livre comércio antes da chegada de Obama ao país (Foto: Associated Press)
.

Fonte: G1