Loja danificada por explosão em Bursa, na Turquia, na quarta (27) (Foto: AFP Photo/Onur Yurtsever)
Um ataque suicida em uma zona turística da cidade de Bursa, no noroeste da Turquia, ocorrido nesta quarta-feira (27) provocou a morte da mulher que se explodiu e feriu ao menos treze pessoas, informaram as autoridades turcas.
“Felizmente, nenhum dos 13 feridos está em uma situação considerada grave. Todos foram atingidos por destroços dos vidros que explodiram nas proximidades”, declarou o ministro da Saúde, Mehmet Müezzinoglu.

A explosão aconteceu às 17h26 (11h26 de Brasília) perto de Ulu Camii, a Grande Mesquita da cidade, um prédio do século XIV e que é o símbolo da cidade segundo a rede CNN-Türk.
A suicida era uma mulher de 25 anos de idade, cujo corpo foi destroçado na explosão, indicou o ministro.

O ataque provocou pânico na área, muito frequentada por turistas, no centro de Bursa.
A polícia isolou todo o perímetro do ataque para examinar o cadáver da suicida, segundo imagens exibidas pela televisão.

Homem socorre um ferido em explosão em Bursa, na Turquia, na quarta (27) (Foto: AFP Photo/Onur Yurtsever)
A cidade industrial de Bursa, antigamente conhecida como Prusa ou Brusa, é a quarta maior cidade da Turquia, com 2,7 milhões de habitantes, e é onde repousam numerosos vestígios da era otomana, na qual era a principal capital do império.
Este ataque suicida ocorre um dia após um novo aviso emitido pela embaixada dos Estados Unidos aos seus cidadãos que estão na Turquia, devido a “séries ameaças” de ataques a turistas.

O país já está em alerta devido a uma série de atentados atribuídos ao grupo jihadista Estado Islâmico (EI) ou relacionados ao conflito curdo, que começou em 1984 e já custou mais de 40 mil vidas.
Em fevereiro e março, dois ataques com carros-bomba deixaram dezenas de vítimas em Ancara.

Estes ataques foram reivindicados pelo grupo Falcões da Liberdade do Curdistão (TAK), uma facção dissidente do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).
Após o fracasso em 2015 de um processo de paz que durou dois anos, o PKK retomou os ataques, principalmente na área curda do sudeste da Turquia.

.

Fonte: G1