Várias pessoas ficaram feridas nesta sexta-feira (29) em um bombardeio que atingiu uma clínica na zona rebelde da cidade síria de Aleppo, indicou à AFP a defesa civil.
Este ataque, que provocou graves danos no edifício, é registrado mais de 24 horas depois de um bombardeio contra um hospital apoiado pela ONG Médicos Sem Fronteiras (MSF), nesta mesma zona rebelde. Entre os mortos estão três crianças e três médicos, de acordo com informações divulgadas pela rede americana CNN na manhã da quinta-feira (28).

A emissora “Al Jazeera” e a ONU atribuíram o ataque contra o hospital de Al Quds às forças governamentais. “Um dos últimos pediatras” que havia na região, o doutor Wasem Maaz, estava no hospital, segundo a “Al Jazeera”.

.

Fonte: G1